Seu Internet Explorer está desatualizado

Para uma melhor visualização do site, utilize a mais nova versão ou escolha outro navegador.

Notícias » Polícia

24.03.2012 - 00:12 - Fonte: Gazeta de Araçuaí

Policias Civil e Militar investigam corrupção em Minas Novas

A etapa de um trabalho de investigação de uma esquema de corrupção que envolveria um vereador da cidade em Minas Novas terminou nessa sexta-feira com uma operação conjunta entre as polícias Militar e Civil. Duas pessoas foram detidas.

A etapa de um trabalho de investigação de uma esquema de corrupção que envolveria o  vereador José Maria da cidade de Minas Novas (MG)terminou nessa sexta-feira (23/03) com uma operação conjunta entre as polícias Militar e Civil. Duas pessoas foram detidas.


A operação teve início de madrugada. Trinta pessoas entre policiais militares, civiis e representantes do Ministério Público participaram das buscas.


As investigações começaram há seis meses e segundo o delegado foram encontradas irregularidades na emissão de notas para pagamento de serviços publicitários.

 

No endereço indicado nas notas emitidas em nome de uma gráfica funciona um lava-jato de propriedade do empresário Wellington Adão Pires.

 

Na casa do motorista da Câmara, Josivando Alves de Souza, foram apreendidos documentos e um computador. Há indícios de que ele faça parte de um esquema de superfaturamento de diárias.


José Maria está no segundo mandado e ocupou por dois anos o cargo de presidente da Câmara.

 

Na empresa do vereador foram encontrados documentos que podem comprovar o esquema de corrupção e um revólver calibre 38.

 

José Maria não foi encontrado e por causa da arma,  já é considerado foragido. O atual Presidente da Câmara, José Antônio Faval, disse que só vai comentar o caso no final das investigações.


Segundo o delegado Victor Amaro, até o início da noite o vereador não havia sido localizado. Ele disse também que o motorista e o empresário detidos durante a operação foram ouvidos e liberados.

 

Ainda de acordo com o delegado, os três vão responder pelos crimes de estelionato e formação de quadrilha