Seu Internet Explorer está desatualizado

Para uma melhor visualização do site, utilize a mais nova versão ou escolha outro navegador.

Notícias » Polícia

20/02/2012 - 15:24 - Fonte: Gazeta de Araçuaí

Estabelecimentos comerciais de Araçuaí são alvos de bandidos

Joalheria e mercearia são assaltadas por três vezes. Uma joalheria, um supermercado e uma lanchonete de Araçuaí foram alvos de bandidos nos dias 23 e 24 de fevereiro último.

Uma joalheria, um supermercado e uma lanchonete de Araçuaí foram alvos de bandidos nos dias 23 e 24 de fevereiro último. Na joalheria GRP, dois bandidos armados, praticaram o assalto à luz do dia, levando cerca de R$ 100 mil em joias, segundo informações da polícia militar. No momento do assalto, ocorrido por volta das 11 horas da manhã do dia 24 de fevereiro. Estavam no local duas funcionárias. Elas contaram que um rapaz de cor clara, aparentando 22 anos, bem vestido com calça jeans e camiseta branca se identificou como cliente e interessado em comprar um presente para a mãe.

 

Enquanto a vendedora mostrava a mercadoria, outro individuo, aparentando cerca de 25 anos, trajando camisa gola polo, calça jeans escura e boné, chegou em uma moto Honda Fan 125, cor azul que ele estacionou em frente à loja. Ao entrar na joalheria, ele colocou uma sacola em cima do balcão e armado com um revólver, anunciou o assalto em parceria com o primeiro individuo. Após o assalto, os bandidos trancaram as duas funcionárias no banheiro. Uma delas acionou o sistema de alarme ligado à Vigilar, empresa de segurança com sede em Porto Alegre. “O alarme não funcionou. No dia seguinte o proprietário da joalheria testou o sistema e a central de monitoramento ligou para o quartel da polícia. Informamos que era um teste, pois o assalto já havia acontecido”, informou ao jornal Gazeta uma fonte da Polícia Militar. Além das joias, os assaltantes fugiram em direção ao bairro Alto do Santuário, levando os celulares das atendentes. Uma guarnição da Polícia Militar localizou a moto usada na fuga.

 

Câmeras do circuito interno da joalheria registraram toda a ação dos bandidos   Câmeras do circuito interno da joalheria registraram toda a ação dos bandidos

 

Ela estava abandonada em uma rua do bairro Alto Santuário. Ainda de acordo com a polícia, os bandidos fugiram em um Honda Civic de cor preta, em direção às cidades de Virgem da Lapa ou Coronel Murta. Uma das funcionárias da joalheria disse já ter visto um dos bandidos em uma festa na cidade de Virgem da Lapa. Até o fechamento desta edição a polícia ainda não tinha pista dos assaltantes. Esta é a terceira vez que a GRP sofre com ação de bandidos.

 

A polícia acredita que os assaltantes já monitoravam a joalheria antes do roubo. Mais assaltos No mesmo dia em que uma joalheria foi assaltada, o supermercado Fecriar, na Rua Dom Serafi m, uma das principais da cidade, também foi alvo de bandidos. Um homem moreno, usando capacete e trajando jaqueta preta com letra S de cor vermelha na altura do peito e desenho de uma águia estampada nas costas, entrou no supermercado e numa ação rápida anunciou o assalto à balconista. O comparsa do assaltante o esperava do lado de fora do estabelecimento. Armado de um revólver, um dos bandidos levou cerca de R$ 200 reais do caixa. Os dois assaltantes fugiram em uma moto Titan 150 vermelha. A polícia não tem pista dos bandidos. Toda a ação dos bandidos foi capturada pelas câmeras do FECRIAR. Ano passado um assaltante chegou a levar o cofre do supermercado que foi localizado no bairro Nova Esperança. É a terceira vez que o estabelecimento é assaltado.

 

Lanchonete assaltada

 

Assaltante levou dinheiro, cheques e documentos pessoais de dono da lanchonete localizada ao lado da Policlínica de Araçuaí

 

Por volta das 23 horas, um rapaz moreno claro, de cavanhaque, usando capacete na testa, adentrou a lanchonete Tec Bom mais conhecida como Bar de José Lúcio, ao lado da policlínica de Araçuaí.

 

Desconfiado das intenções do cliente, o proprietário da lanchonete dirigiu-se até a cozinha e pediu que um funcionário atendesse o cliente. Ele pediu um cigarro e em seguida anunciou o assalto, munido de um revólver calibre 22. O assaltante levou a carteira do proprietário da lanchonete, contendo cerca de R$ 300 reais e dois talões de cheques do Banco Sicoob, além de cheques de terceiros totalizando R$ 136 reais, cartões de créditos do dono da lanchonete e de sua esposa e documentos pessoais como carteira de habilitação e titulo eleitoral.

 

Foram roubados ainda seu aparelho celular e um cheque de R$ 857 reais do banco Sicoob. Após o assalto, o dono da lanchonete, José Lúcio Dias de Oliveira, de 43 anos, recebeu uma ligação anônima dizendo que um morador do bairro Canoeiro (Mutirão) teria dado fuga ao assaltante em uma moto. A polícia esteve na casa do suspeito e já está investigando sua participação no assalto.

 

Cabo da PM se envolve em confusão no Gravatá

 

Na noite de 12 de fevereiro, por volta das nove e meia da noite, a Polícia Militar recebeu uma denúncia via 190 que estava acontecendo uma briga generalizada na Comunidade Ponte do Gravatá, zona rural de Araçuaí e que o Cabo Clésio Viana Santos, policial militar, estava envolvido na confusão. Em sua versão, o Cabo Clésio contou que estava no local onde existem alguns barzinhos, acompanhado de amigos, quando viu um rapaz que conduzia uma moto entre dois carros que estavam estacionados, ser empurrado por Elicássio Gomes Pereira, residente no bairro Nova Esperança em Araçuaí. Após ser jogado ao chão, este rapaz começou a ser agredido pelo Elicássio. De acordo com Cabo Clésio, ele interferiu na confusão e ao tentar socorrer a vítima foi surpreendido por dois rapazes, Fernando Oliveira Fonseca e Nélio Alves de Sousa, residentes em Araçuaí que lhe aplicaram uma gravata e o derrubou. Neste momento, Elicássio aproveitou que o policial estava imobilizado arrancou-lhe da cintura, uma pochete que continha um revólver calibre 38 carregado com seis cartuchos e R$ 3 mil reais em dinheiro, fugindo em seguida na moto furtada da vítima conhecida como Gleucimar. A polícia chegou ao local, mas não encontraram os autores da confusão. Em intenso rastreamento para prender os autores da agressão, a polícia localizou a moto e a pochete do policial que estava vazia. Um dos envolvidos na confusão Fernando Oliveira, foi preso na mesma noite após denúncia anônima de que se encontrava em um trailler da cidade. Ele negou as acusações e disse que estava apenas contendo o cabo Clésio para que ele não sacasse a arma e causasse um mal maior. Elicássio Gomes Pereira foi preso no dia seguinte na porta da Delegacia de Polícia quando negociava a entrega do revólver do policial. Os dois ficaram quatro dias presos e foram libertados por força de um habeas corpus.