Seu Internet Explorer está desatualizado

Para uma melhor visualização do site, utilize a mais nova versão ou escolha outro navegador.

Notícias » Polícia

29/04/2012 - 20:40 - Fonte: Jornal Gazeta de Araçuai

PM prende homem que matou padrasto em Araçuaí

Já está preso e à disposição da Justiça, o desempregado José Luiz dos Santos, conhecido por “Feinho”, 32 anos, que matou à facadas, seu padrasto Adevany de Jesus, 43 anos.

Foto: Polícia Militar PM prende homem que matou padrasto em Araçuaí
Feinho confessou ter matado o padrasto porque ele agrediu sua mãe

Já está preso e à disposição da Justiça,  o desempregado José Luiz dos Santos, conhecido por “Feinho”, 32 anos, que matou à facadas, seu padrasto Adevany  de Jesus, 43 anos.

 

O crime aconteceu na rua Antonio Bragança 462, bairro Nova Esperança, em Araçuaí (MG)  no inicio da madrugada de sábado (28/04).

 

Segundo Rita Luiz dos Santos, mãe de “Feinho”, seu filho chegou em casa  agressivo e com fortes sintomas de embriaguez , dizendo que iria matar o padrasto que já estava deitado com sua companheira.

 

O homem foi até a cozinha,  armou-se de uma faca e desferiu um golpe no peito do padrasto que fugiu para fora da residência, sendo perseguido por “Feinho” que continuou a desferir golpes nas costas de Adevany que morreu no local.

 

A mãe do rapaz tentou impedir o crime usando um pedaço de pau mas, ao ser ameaçada de morte pelo filho, correu  para chamar a polícia.

 

O Sargento José Íris e o soldado Aurélio Rocha compareceram ao local.

 

A perícia também foi acionada e constatou que Aldevany   foi golpeado por uma perfuração no tórax, três perfurações nas costas além de lesões no braço e cabeça.

 

O corpo foi levado para  autópsia no IML de Itaobim a 72 Km de Araçuaí.

 

José Luiz dos Santos foi preso ao amanhecer durante rastreamento realizado no bairro pela Polícia Militar.

 

Ele estava usando na cintura a faca que matou Aldevany.

 

Feinho, que foi preso em flagrante, confessou o crime e disse que matou o padrasto porque ele havia agredido sua mãe.

 

Se condenado poderá pegar de 12 a 30 anos de prisão.