Seu Internet Explorer está desatualizado

Para uma melhor visualização do site, utilize a mais nova versão ou escolha outro navegador.

Notícias » Polícia

06/05/2012 - 00:19 - Fonte: Jornal Gazeta de Araçuai e TV Record

Jovem é preso em São Paulo após aplicar mesmo golpe da Firv de Thales Maioline

Imitando Thales Maioline, rapaz é preso em Sãol Paulo, acusado de lesar mais de 400 pessoas com promessas de rendimento através da Bolsa de Valores

Foto: Divulgação Jovem é preso em São Paulo após aplicar mesmo golpe da Firv de Thales Maioline
Nascido em Araçuai, Thales Maioline aplicou golpe de mais de R$100 milhões e está preso em BH

O enredo do filme, ou melhor do golpe, é o mesmo. Promessa de lucros com pagamento de juros altos e as vítimas, geralmente, parentes e amigos.

 

Assim como Thales Maioline, filho de Araçuaí (MG), preso por ter aplicado um golpe de cerca de R$ 100 milhões,  através da empresa Firv , uma espécie de clube de investimentos, o jovem  Daniel Rodrigues dos Santos, 26 anos, também está preso, sob acusação de ter lesado pelo menos 400 pessoas, a maioria, parentes e amigos.

 

Menino pobre, morador do bairro Grajaú, na periferia da capital paulista, ele era tido como “boa gente” e querido por todos da família.

 

Com uma história de que faria aplicações na Bolsa de Valores, ele convenceu mais de 400 pessoas, incluindo avós,  tios, primos e vizinhos a lhe entregar suas economias  com promessas de rendimento de 10% ao mês.

 

Tudo corria bem, com Daniel honrando seus compromissos e com isso, angariando mais investidores.

 

Assim como Thales Maioline, Daniel passou a ter um padrão de vida milionário.

 

Desfilava com carros de luxo importados, passou a usar roupas de grife e  mudou-se para uma mansão no bairro Interlagos onde promovia festas e mais festas. A maioria dos convidados era cliente da sua “ Daninvest”, uma prima irmã da Firv.

 

Somente da avó, Daniel arrancou R$ 100 mil. “ Era minhas economias de toda uma vida”, disse a mulher à TV Record, em programa exibido no Domingo Espetacular de 06/05. “ Não quero que ele volte mais à nossa família”, desabafou a idosa.

 

Daniel Rodrigues foi preso na semana passada e prestou depoimento na 6ª Seccional de Polícia Civil de São Paulo.

 

Ele alegou que perdeu todo o dinheiro na “Bolsa” e que seus clientes sabiam que era um investimento de risco.

 

O delegado que acompanha o caso disse que ele possui um patrimônio de mais de R$ 1 milhão.

 

Uma psiquiatra ouvida pela TV Record disse que ele sofre de uma doença com nome estranho: condutopatia, em que a pessoa não tem remorsos nem sentimento de culpa pelos seus atos.

 

Relembre o golpe da Firv

 

Thales Maioline era sócio da Consultoria e Administração de Recursos Financeiros Ltda (FIRV), empresa que prometia juros de aplicações financeiras em valores acima do mercado.

 

Maioline está preso  desde dezembro de 2010 no Centro de Remanejamento de Presos (Ceresp) do bairro São Cristóvão, em Belo Horizonte.

 

Ele , sua irmã Iane Maioline e outros dois envolvidos no esquema foram denunciados pelo Ministério Público em março do ano passado  pelos crimes de estelionato, formação de quadrilha e uso de documento falso.

 

O Tribunal de Justiça negou-lhe habeas Corpus e seus advogados recorreram ao Supremo Tribunal de Justiça. O recurso ainda não foi julgado.

 

Maioline utilizou uma estratégia antiga para roubar suas vítimas.

 

Aproveitou-se da ganância das pessoas que foi encontrando ao longo dos últimos três anos para convencê-las de que poderiam ter retornos financeiros muito superiores aos obtidos no mercado, sem no entanto correr nenhum risco.

 

Maioline criou até uma empresa, a FIRV Consultoria e Administração de Recursos Financeiros, que, por meio de investimentos dos mais variados, teria condição de oferecer taxas de retorno mensais de 5% a 7% sobre cada real investido nela, com a garantia de não haver perdas do capital investido.

 

Com a taxa de juros variando em torno dos 10% ao ano, Maioline oferecia retornos que poderiam chegar próximo a 85%. Não demorou para que ele encontrasse os ingênuos de que precisava pelo caminho.

 

Ele lesou mais de 2 mil pessoas, entre elas, pelo menos 150 em Araçuai e o restante, em Belo Horizonte e Itabirito (MG).