Seu Internet Explorer está desatualizado

Para uma melhor visualização do site, utilize a mais nova versão ou escolha outro navegador.

Notícias » Política

08/05/2012 - 15:07 - Fonte: Agência Estado

Governo estuda excluir limite de filhos no Bolsa Família

Com foco em crianças de zero a seis anos, o pacote social também prevê um complemento pago pelo governo às famílias pobres, quando a renda per capita não atingir o mínimo de R$ 70, independentemente do número de filhos.

Foto: Divulgação Governo estuda excluir limite de filhos no Bolsa Família
Atualmente, o limite estabelecido para o recebimento do Bolsa Família é o de cinco filhos com até 15 anos e mais dois jovens de até 17.

O governo planeja acabar com o limite de filhos existente hoje para recebimento do programa Bolsa Família.

 

A medida pode ser anunciada pela presidente Dilma Rousseff durante pronunciamento que ela fará no domingo (13/05) à noite, em homenagem ao Dia das Mães.

 

Com foco em crianças de zero a seis anos, o pacote social também prevê um complemento pago pelo governo às famílias pobres, quando a renda per capita não atingir o mínimo de R$ 70, independentemente do número de filhos.



Atualmente, o limite estabelecido para o recebimento do Bolsa Família é o de cinco filhos com até 15 anos e mais dois jovens de até 17.

 

A transferência de renda varia de R$ 32 a R$ 306, dependendo do perfil econômico e da quantidade de filhos.

 

Há 13,35 milhões de famílias que ganham o benefício.

 

Estimativas feitas pelo Ministério do Desenvolvimento Social indicam, porém, que 1 milhão de famílias extremamente pobres ainda não são atendidas pelo programa.

 

Além disso, muitas delas têm mais de cinco crianças em idade pré-escolar.

 

Na avaliação de Dilma, se o governo não tomar uma medida ousada agora, não conseguirá cumprir a meta de erradicar a miséria até o fim de seu mandato, em 2014, como ela prometeu na campanha.



Depois de fazer um pronunciamento em rede nacional de rádio e TV, no Dia das Mães, Dilma divulgará as novas ações para enfrentar a pobreza numa grande solenidade marcada para o dia 14, no Palácio do Planalto, com a presença de prefeitos, governadores e parlamentares.

 

A presidente decidiu comprar uma briga com a equipe econômica para a liberação de recursos destinados a programas sociais.

 

Apesar do corte do Orçamento de R$ 55 bilhões e do ajuste fiscal, Dilma tem dito aos auxiliares que é preciso continuar investindo em saneamento e em programas de erradicação da pobreza.