Seu Internet Explorer está desatualizado

Para uma melhor visualização do site, utilize a mais nova versão ou escolha outro navegador.

Notícias » Polícia

15/05/2012 - 15:53 - Fonte: Gazeta de Araçuaí

Inspetor da Polícia Civil de Almenara pode ter sido vítima de crime passional

Inspetor Valério estava vivendo um relacionamento conturbado com a companheira. Eles estavam juntos há mais de 13 anos

Foto: Albúm de Família Inspetor da Polícia  Civil de Almenara pode ter sido vítima de crime passional
Valério Otoni trabalhava há 30 anos na Polícia Civil
Nádia Miranda Flores, de 48 anos  foi presa e autuada em flagrante pelo homicídio do marido, o inspetor da Polícia Civil lotado em Almenara (MG) Valério Otoni, 52 anosl.
 
Ela está sendo apontada como  a principal suspeita do crime contra o inspetor que trabalhava há quase 30 anos na delegacia de Almenara, no Vale do Jequitinhonha.
 
O crime aconteceu na madrugada de sábado e segundo a assessoria da Polícia Civil, a mulher foi  detida  e  transferida para Itaobim, cidade vizinha à Almenara, porque um filho do inspetor é agente penitenciário no presídio  de Almenara.
 
O crime chocou a cidade e principalmente a equipe de policiais e investigadores.
 
Inicialmente, a mulher alegou que o marido, Valério Otoni Silva, 52, havia se matado e acionou a Polícia Militar (PM).
 
Porém, os trabalhos de perícia e investigações apontaram para homicídio, já que um projétil foi encontrado no banheiro da casa do casal. 
 
De acordo com o tenente Paulo Henrique Brant, do 44º Batalhão da PM, o inspetor foi encontrado no quarto do  da casa  onde os dois moravam no Bairro Cidade Verde, com um tiro na boca que transfixou a nuca.
 
O corpo estava sobre a cama no quarto do casal, recostado na cabeceira.
 
“O Valério estava daquele mesmo jeito que a gente conhecia, com a roupa normal de trabalho. Ele andava sempre com uma arma na cintura e uma camiseta para dentro da calça”, relata o militar. 
 
A perícia constatou uma perfuração na janela do quarto e encontrou uma cápsula do revólver usado no crime na suíte.
 
Essa bala foi fundamental para incriminar Nádia, porque os investigadores  questionaram como o projétil estaria no banheiro após suicídio. 
 
De acordo com tenente Brant, esse era  o segundo casamento do inspetor e o relacionamento estava conturbando, conforme relataram testemunhas e parentes. Os dois estavam juntos há mais de 13 anos.
 
A Polícia Civil acredita em crime passional por isso autuou Nádia em flagrante.  De acordo com testemunhas, Nádia desconfiava que o companheiro estava se encontrando com uma amante.
 
Um inquérito será instaurado para apurar as motivações do crime.
 
Valério foi enterrado na  segunda-feira às 14, no Cemitério da Saudade em Almenara.