Seu Internet Explorer está desatualizado

Para uma melhor visualização do site, utilize a mais nova versão ou escolha outro navegador.

Notícias » Saúde

25/05/2012 - 08:59 - Fonte: Agência Minas

Pesquisa de avaliação da saúde bucal é iniciada no Vale do Jequitinhonha

O resultado final da pesquisa permitirá ao Governo de Minas avaliar, de um modo geral, como está a saúde bucal da população mineira para elaborar as políticas públicas de acordo com as prioridades apontadas.

Foto: divulgação Pesquisa de avaliação da saúde bucal é iniciada no Vale do Jequitinhonha
Participam da pesquisa crianças de 5 e 12 anos; adolescentes de 15 a 19 anos; adultos de 35 a 44 anos e idosos de 65 a 74 anos.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES), por meio da Diretoria de Saúde Bucal, iniciou uma pesquisa de campo em Santa Maria do Salto, no Vale do Jequitinhonha, visando identificar as condições de saúde bucal da população.

 

Para a realização da pesquisa, foram sorteados 60 municípios localizados nas 28 Unidades Regionais de Saúde.

 

A iniciativa faz parte do Projeto de Saúde Bucal (SB Minas) da SES e é realizado em parceria com a Pontifícia Universidade Católica (PUC) de Minas Gerais e o Centro Colaborador em Vigilância à Saúde Bucal do Ministério da Saúde.

 

Em Santa Maria do Salto os trabalhos serão realizados até o dia 30 de junho.

O objetivo da pesquisa, que teve início em maio, é conhecer a realidade da saúde bucal dos moradores e, a partir do diagnóstico dos dados e exames realizados, formular ações que contemplem esta população através do desenvolvimento de programas de âmbito estadual e em cumprimento a Política Nacional de Saúde Bucal.

 

Segundo a coordenadora e examinadora do projeto no município, Raissa Alves, e a técnica em saúde bucal, Fabiana Rodrigues, as visitas estão sendo realizadas nos domicílios sorteados. “Já visitamos 100 residências e realizamos nove exames. A maior dificuldade que temos encontrado são com os domicílios fechados, vários moradores estão na zona rural e não tem data para voltar. Porém, temos tido uma boa aceitabilidade por parte das famílias visitadas, sendo que não houve nenhuma recusa com relação ao nosso trabalho”, disse a coordenadora.

Pesquisa de campo

 

Quando a equipe localiza no domicílio uma pessoa com a faixa etária especificada, o indivíduo é orientado sobre a finalidade da pesquisa e, caso concorde participar, ele assina um termo de consentimento autorizando a realização do procedimento.

A partir daí, a examinadora realiza o exame nos dentes e nas gengivas, enquanto a anotadora registra os dados.

Ao final da pesquisa, estes dados coletados serão enviados para a Diretoria de Saúde Bucal do estado de Minas Gerais, que irá consolidar as informações dos municípios participantes.

O resultado final da pesquisa permitirá ao Governo de Minas avaliar, de um modo geral, como está a saúde bucal da população mineira para elaborar as políticas públicas de acordo com as prioridades apontadas.

Público-alvo

 

Participam da pesquisa crianças de 5 e 12 anos; adolescentes de 15 a 19 anos; adultos de 35 a 44 anos e idosos de 65 a 74 anos. Segundo a examinadora, Raissa Alves, a pesquisa é importante para conhecer a realidade das pessoas que não procuram as unidades básicas de saúde, mas que precisam de cuidados.

 

“Enquanto equipe de saúde bucal do município, temos a oportunidade de orientar as pessoas a procurar um serviço de saúde, periodicamente, para realização de identificação de agravos bucais precocemente e para que participem de palestras e outras ações de caráter coletivo”, recomendou Raissa Alves.