Seu Internet Explorer está desatualizado

Para uma melhor visualização do site, utilize a mais nova versão ou escolha outro navegador.

Notícias » Cultura

30/05/2012 - 15:31 - Fonte: Jornal Gazeta de Araçuai

Max e Aguilar tem 120 dias para reformar prédio da prefeitura de Araçuai

Construído no início de 1911, pelo construtor italiano Francisco Onnis, o imponente prédio da prefeitura municipal de Araçuai,(MG) de arquitetura neoclássica, passará por uma ampla reforma.

Foto: Sérgio Vasconcelos Max e Aguilar tem 120 dias para reformar prédio da prefeitura de Araçuai
Prédio de 1911 possui 18 salas e escadarias de madeira que serão reformadas

Uma importante página da história de Araçuaí que clamava por socorro, será revitalizada.

Construído no início de 1911, pelo construtor italiano Francisco Onnis, o imponente prédio da prefeitura municipal de Araçuai,(MG) de arquitetura neoclássica, passará por uma ampla  reforma.

A empresa Max e Aguilar, de Coronel Murta, tem o prazo de 120 dias para concluir a restauração. As obras deverão ser iniciadas na primeira semana de junho.

 Será a maior intervenção arquitetônica que o prédio sofrerá ao longo dos seus 100 anos de construção.


Serão restaurados o forro, escadarias, pintura, telhado, sistema elétrico e todo o conjunto do prédio, além dos móveis seculares, como mesas e cadeiras . " O prédio faz parte da rica história de Araçuaí e é nossa obrigação preservá-lo. É a cultura e a população que saem ganhando”, disse o prefeito municipal Aécio Silva Jardim.

As obras vão custar  R$ 200 mil e deverão ser concluídas até setembro, quando o município completa 149 anos de emancipação.

O Projeto

 

Em abril de 2011, o Departamento Municipal  de Cultura, apresentou o projeto de restauração ao Conselho Municipal de Patrimônio Cultural. Em seguida, ele foi encaminhado ao Conselho Estadual dos Direitos Difusos em Belo Horizonte que aprovou a liberação dos recursos.

 

O Conselho Estadual de Direitos Difusos é mantido por repasses de multas pecuniárias aplicadas pelo poder público a quem infringe a lei, a exemplo de multas por danos ao meio ambiente e ao patrimônio cultural.

 

Uma das novidades da restauração será a instalação de uma plataforma elevatória em seu interior para facilitar o acesso de portadores de deficiência às dependências do prédio.

 

Há 12 anos o Ministério Público vem cobrando esta medida  às administrações municipais que nunca cumpriram as determinações da lei.

 

" A instalação da plataforma não vai atingir a arquitetura original do prédio", informou a arquiteta Ana Cristina Lages.

 

Mudança

 

Logo que tomou posse, o atual prefeito Aécio Jardim, transferiu todo o  “ staff” do seu gabinete para um prédio alugado na Vila Magnólia, onde funcionou a Superintendência Regional de Ensino. “ Não havia condições da prefeitura funcionar naquele local e não tínhamos o recurso para a restauração”, explicou o prefeito. “  Ele tem  muitas infiltrações e goteiras. Em épocas de chuvas todos os equipamentos e móveis tinham de ser cobertos por lonas plásticas. Os banheiros estavam  entupidos e as paredes descascando.  Como ele estava, não havia condições de receber uma autoridade e até mesmo o público”, acrescentou o prefeito.


Atualmente, no prédio, funciona apenas o  Conselho Tutelar que deverá ser instalado no prédio onde funcionava a AMEJE, na rua Medina..