Seu Internet Explorer está desatualizado

Para uma melhor visualização do site, utilize a mais nova versão ou escolha outro navegador.

Notícias » Polícia

05/05/2015 - 08:07 - Fonte: O Tempo

Mulher nega abrigo para ex-companheiro durante tiroteio e acaba baleada em Araçuaí

O homem que estava baleado quis se esconder na casa da ex-mulher que ao negar, acabou sendo baleada por ele. Ambos estão internados no hospital da cidade.

Foto: arquivo Mulher nega abrigo para ex-companheiro durante tiroteio e acaba baleada em Araçuaí
Crime ocorreu no bairro Nova Esperança

Uma jovem de 23 anos foi baleada pelo ex-companheiro após negar ajuda para o homem, que havia trocado tiros com um rival, nesse domingo (3), em Araçuaí, no Vale do Jequitinhonha. Depois de ser baleado, o agressor pediu para se esconder na casa da vítima, que recusou a proposta.

 

 

De acordo com o boletim de ocorrência da Polícia Militar, a mulher contou que estava em sua residência, na rua Afonso Pena, do bairro Nova Esperança, quando o homem de 25 anos chegou com perfurações no braço direito e no ombro e disse que havia se desentendido com outra pessoa.

 

 

Com medo de ser morto, ele pediu que a ex-companheira o socorresse e o deixasse esconder em seu imóvel. Diante da negativa, o suspeito se irritou e efetuou um disparo contra o abdômen da dona de casa. Em seguida, ele fugiu.

 

 

O ex-marido da vítima foi localizado por militares na residência de um amigo e encaminhado ao Hospital São Vicente de Paula, onde segue internado sob escolta policial. A mulher foi levada para a mesma instituição e não corre risco de morte.

 

 

O homem que trocou tiros com o suspeito foi identificado, mas a polícia não o localizou. A ocorrência foi encerrada na delegacia de plantão da cidade.

 

 

 

Caminhada da Paz

 

A população de Araçuaí realiza nesta terça-feira (5) uma Caminhada pela Paz. A ação visa chamar a atenção das autoridades para a onda de violência que o município atravessa. Furtos e roubos são os crimes mais recorrentes na cidade.

 

A expectativa é de que pelo menos mil pessoas participem do movimento. Os participantes podem levar faixas, bandeiras, além do desejo de promover a paz. Nas redes sociais as pessoas estão se mobilizando. Um grupo de debate sobre o assunto foi criado e já conta com 1.250 membros.