Seu Internet Explorer está desatualizado

Para uma melhor visualização do site, utilize a mais nova versão ou escolha outro navegador.

Notícias » Cidades

27/05/2015 - 18:05 - Fonte: Gazeta de Araçuai

Agressão a professora em Araçuai provoca protesto

Um video com as agressões, postado nas redes sociais, já foi visto por mais de 4 milhões de pessoas. O caso teve repercussão na imprensa brasileira e na BBC de Londres.

Foto: Gilmar Almeida/facebook Agressão a professora em Araçuai provoca protesto
Manifestantes querem providência das autoridades sobre o caso.

 

A agressão de um aluno de 14 anos a uma professora da Escola Estadual Dom José de Haas, em Araçuai, no Vale do Jequitinhonha está provocando indignação por todo o Brasil, depois que um vídeo com as imagens, foi postado em redes sociais e alcançou mais de 3 milhões de visualizações.

 

Na tarde desta quarta-feira (27) professores e alunos vestidos com camisetas pretas, e carregando faixas de protesto, realizaram uma caminhada  pedindo providências para o caso.

 

Os manifestantes percorreram um trecho da BR-367  que corta a cidade. Eles  finalizaram  a caminhada em frente à  Escola Estadual Dom José de Haas, onde ocorreram as agressões. O muro da escola foi coberto com lonas pretas em sinal de luto.

 

Manifestação foi finalizada em frente à escola que teve o muro coberto por lonas pretas em sinal de luto

 

 

Video provocou revolta em milhões de internautas

 

Imagens revoltantes

 

No vídeo, é possível ver o  aluno passando a mão nas nádegas da professora. Ele dá um tapa na cara dela e ainda  toca os seios da mulher. Ao  fundo, escutam-se os risos de outros estudantes, provavelmente crianças e adolescentes.

 

O aluno insulta a professora com palavras chulas. Ela tenta manter a calma e ele ainda derruba por duas vezes os livros que ela recolhia da biblioteca para serem guardados.

 

O jovem estuda na 6º série e, segundo a vice-diretora, Silvana da Cunha Melo, ele  esteve internado por decisão judicial em 2014 por ter agredido um  homem com um tijolo. 



— Ele nunca respeitou ninguém, não tem limite. A professora ficou tão constrangida que nem denunciou no dia. Quando fiquei sabendo, a levei na delegacia para fazer boletim de ocorrência. O vídeo não mostra, mas ele chegou a dar um chute nela", reclama Silvana Melo.

 

No dia 23 de abril convocamos o colegiado e ficou decidido que ele não seria mais aceito até uma decisão judicial, que até hoje não ocorreu. Em protesto, ele veio até a porta da escola, ficou chutando o portão e ameaçou quebrar o meu carro, informou a vice-diretora.

Segundo ela,  o jovem tem estrutura familiar "complicada".

— É filho de pais separados, o irmão mais velho já foi preso, o lugar em que mora é difícil, tudo contribui. Quando os pais não ajudam na formação, não comparecem na escola, é complicado. Hoje em dia o aluno faz o que quer e o professor não é respeitado
 

Confira o vídeo

 

O filme foi gravado em 10 de abril no município de Araçuaí, mas só ganhou fôlego nas redes sociais na semana passada.

 

 A cidade tem pouco mais de 37 mil habitantes. As imagens dos abusos foram vistas por quase 4 milhões de pessoa, só no Facebook. O caso também foi noticiado pela BBC de Londres e por jornais e TVs do Brasil.

 

“Como se já não bastassem os salários baixos, as péssimas condições de trabalho, ainda ter que aguentar tamanha falta de respeito. Basta! Façam alguma coisa autoridades competentes, pelo amor de Deus!!!! É de doer na alma!”, postou uma professora de São Paulo.

 

“Da até vontade de desistir da faculdade depois de um vídeo desse! Essa professora contou até mil, porque aguentar um desaforo desses e não fazer nada é para poucos”, escreveu uma internauta.

 

Pai do adolescente diz que está chocado

 

O pai do adolescente pediu perdão à professora pelo filho, mas “ ela não aceitou”, disse o homem de 51 anos, que está desempregado.

 

Ele contou que está muito deprimido e chocado com a repercussão do caso e que vai levar o filho para Belo Horizonte para tratar.

" Não vou abandonar meu filho ", disse o pai.

 

Ele conta que  desde o ano passado, percorre corredores do Ministério Público, da prefeitura municipal e do Conselho Tutelar de Araçuai, em busca de tratamento e internação para o garoto, que sofre de TDAH-um transtorno neurobiológico, de causas genéticas, que aparece na infância e acompanha o indivíduo por toda a vida. Ele se caracteriza por sintomas de desatenção, inquietude e impulsividade.

 

De acordo com o pai, o garoto, que mora atualmente com a mãe,  está sem acesso à escola, a projetos sociais e não está recebendo a medicação que necessita. Por conta disso, o menino está causando sérios problemas e colocando a vida de outras pessoas em risco. 

 

Até o momento nenhuma autoridade se manifestou a respeito do fato. Em nota, a Secretaria de Educação afirma que uma superintendente e uma coordenadora  estão em  Araçuaí para apurar o caso e têm reunião marcada com a direção da escola, professores pais e o colegiado.

 

Ainda muito abalada a professora agredida prefere não gravar entrevista.

 

Sérgio Vasconcelos

Repórter