Seu Internet Explorer está desatualizado

Para uma melhor visualização do site, utilize a mais nova versão ou escolha outro navegador.

Notícias » Cidades

10/02/2017 - 15:41 - Fonte: Gazeta de Araçuai

Mato e sujeira tomam conta de prédio abandonado pela prefeitura de Araçuai

O prédio abrigou agência da extinta MinasCaixa e está sob responsabilidade da prefeitura que desde 2015 não ocupa o local.

Foto: Gazeta de Araçuai Mato e sujeira tomam conta de prédio abandonado pela prefeitura de Araçuai
Árvores sem poda ameaçam a rede elétrica e as raízes já danificaram a calçada

 

Mato alto, vidraças, lâmpadas e portas quebradas, vasos sanitários danificados e torneiras arrancadas. Há  muito lixo, entulho e fezes espalhadas pelas salas. É assim que  agora se encontra o prédio onde funcionava a extinta agência  da MinasCaixa, no centro de Araçuai, no Vale do Jequitinhonha (MG)

 

Com a extinção da MinasCaixa, , todos os bens que compunham o patrimônio do banco, reverteram-se em favor do Estado de Minas Gerais.

 

O prédio em Araçuai, está sob responsabilidade da prefeitura municipal,  cuja administração atual, manteve no local  até o início de 2015 , o Departamento Municipal de Cultura e o Bolsa Família.

 

Na gestão do então prefeito Aécio Jardim (2009-2012), abrigou a secretaria municipal de Assistência Social.

 

Enchente de 1979, chegou próximo ao prédio, que fica ao lado da antiga sede da prefeitura.

 

A situação atual, em nada lembra os tempos áureos da MinasCaixa.

 

Na atual administração prédio foi ocupado pelo Departamento de Cultura.

 

Quem passa pelo local, pode ver os vidros da  porta principal  e das janelas laterais quebrados. Uma das portas de entrada está aberta e quem entra se depara com um quadro de abandono, descaso e irresponsabilidade com a coisa pública.

 

 

 

Uma das portas de entrada está aberta.

Irresponsabilidade

 

Documentos de gestões anteriores estão abandonados em armários abertos.

 

Em uma das salas se encontram quatro armários de aço e dois arquivos que estão abertos.

 

 Dentro deles,  centenas de pastas com documentos oficiais  das  administrações da prefeita  Maria do Carmo Silva e José Antonio Martins. Ambos do PT. O prédio está com inúmeras infiltrações que comprometem sua estrutura. As goteiras e umidade, estão danificando os documentos.

 

Na área externa lateral, lixo se acumula.

 

 

Lixo e sujeira tomam conta das salas.

 

 

Há sujeira e lixo por todos os lados e o cheiro de fezes é insuportável. Vizinhos reclamam da utilização do local por usuários de drogas . Ao lado funciona a Junta de Serviço Militar  e o antigo prédio da prefeitura, que está fechado há 9 anos, aguardando finalização de uma reforma.

 

Coleções de livros caros se misturam ao lixo.

 

Pelas salas, há sinais de que o local já foi invadido por vândalos.  Há peças de roupas velhas e retalhos espalhados e até um par de sapatos feminino deixado em um canto da sala de entrada.. Uma coleção  novinha dos livros " Tesouro da Juventude" está abandonada em meio aos entulhos.

 

 

No corredor  principal  canos e postes galvanizados estão  à vista. “ Qualquer um pode apanhar isso a qualquer hora”, destacou um transeunte. Apenas uma grade baixa protege o prédio .Os portões de entrada estão com cadeados, mas de nada valem. Na lateral um outro portão permanece aberto, 

 

Móveis em bom estado de conservação foram abandonados no local.

 

Em outra sala, mais móveis e livros estão abandonados e sofrendo a ação do tempo.

.

 

Na entrada principal está instalado um orelhão que está em bom estado de funcionamento, mas não pode ser usado porque o local está fechado.

 

Os moradores que também costumam caminhar perto do local veem o abandono como uma situação perigosa. “Infelizmente você vê que é um patrimônio que está aí .Deveria ter uma forma de fazer com que esse prédio entrasse em uso, porque é um patrimônio público e a cada tempo que passa dele não sendo usado, ele vai sendo depredado como a gente está vendo, nessa situação muito triste. É também ideal para esconderijo de marginais”, desabafou um aposentado.

 

Enquanto o problema não é resolvido, a prefeitura, continua funcionando em um prédio alugado por cerca de R$ 8 mil mensais, além de pagar por outros imóveis alugados.

 

A prefeitura informou através da assessoria de Comunicação que irá se pronunciar sobre o assunto, na próxima segunda-feira (13).

 

Gazeta de Araçuai