Seu Internet Explorer está desatualizado

Para uma melhor visualização do site, utilize a mais nova versão ou escolha outro navegador.

Notícias » Polícia

15/02/2017 - 22:25 - Fonte: Gazeta de Araçuai

Empresário e neta são sequestrados em Coronel Murta

Criminosos sequestraram primeiro o avó da criança que fazia caminhada na rodovia que corta a cidade. Em seguida eles foram até à casa do empresário e levaram a criança que saia de casa com a avó.

Foto: arquivo Empresário e neta são sequestrados em Coronel Murta
Caso deixa a pequena cidade, assustada com a violência.

Uma menina de 6 anos e o avô dela, de 45, foram sequestrados na  noite.desta quarta-feira (15) em  Coronel Murta, no Vale do Jequitinhonha.

 

O avô da criança, conhecido por Aidinho,  é comerciante de pedras preciosas  e proprietário de um posto de combustíveis na cidade. Ele  fazia caminhada  na rodovia MG- 342 que liga Coronel Murta â Salinas e Araçuai,  quando foi abordado por marginais que estavam em um carro preto, possivelmente um Ônix .  Amigos do empresário acreditam que  os criminosos estudaram todas as informações da rotina dele 

 

Uma testemunha contou que  por volta das 20hs, viu  quando um  carro preto estacionou na porta da casa do empresário, no bairro Acari." Três homens, sairam do carro. Um era  alto, magro e moreno,  e os outros dois,  morenos, de estatura mediana. Eles estavam com os rostos encobertos.  Todos estavam armados e chegaram exatamente no momento em que a  menina saia com a avó para a casa de uma vizinha. A avó chegou até a gritar para a criança correr mas ela acabou sendo levada", disse a testemunha que pediu para não ser identificada.

 

 

Não se sabe se o empresário  estava  no porta- malas do carro que levou a neta dele,  ou se foi colocado em outro veículo, após a abordagem na rodovia.

 

Testemunhas contaram que viram um carro preto  em alta velocidade, passando pelo bairro Maria da Glória , conhecido por Mutirão e pegar uma estrada de terra, sentido comunidade da Vereda. A estrada é estreita  e  dá acesso a  fazendas e á uma chapada e também a localidades no município de Itinga.

 

“ É possível que mais criminosos, usando outros veículos estejam envolvidos. Já fizemos  cerco em todas as possíveis rotas de fuga, como Itinga, Rubelita e Medina, mas até o momento ninguém foi detido”, informou um policial.

 

A PM não forneceu mais  detalhes do caso para não comprometer o andamento da investigação. Reforço policial foi solicitado em unidades das cidades vizinhas, para realizar buscas.

 

Moradores da cidade foram para a porta da casa do empresário em busca de informaçõs. ( Foto Dinda )

 

 

O empresário, de hábitos simples, é   muito querido na cidade .  Amigos e familiares, estão abalados com o caso e  se concentram na  casa dele, em busca de informações. " Tudo indica que ele foi levado pelos sequestradores, já que saiu para fazer a sua caminhada diária e não retornou", disse um amigo da família. O celular do empresário está mudo e não atende ligações. Há tempos ele vinha sendo alertado  por amigos para tomar medidas para se proteger e não fazer caminhadas desacompanhado ou sem seguranças.

 

 Uma foto da  criança está circulando nos grupos policiais no WhatsApp mas acabou vazando para outros grupos. Por questão de segurança, tanto do empresário, quanto da criança,  este jornal optou pela não publicação de fotos.

 

A família não informou se foi feito algum pedido de resgate.

 

 

 

Pedristas são alvos

 

 

Em junho de 2016 PM prendeu grupo que planejava assaltar pedrista na cidade.

 

 

Este não é o primeiro caso de violência na cidade, envolvendo comerciantes de pedras preciosas. Em junho de 2016  a Polícia Militar prendeu quatro  homens e uma mulher que  confessaram um plano para assaltar um pedrista da cidade, conhecida pelas suas lavras de pedras preciosas e semi-preciosas, em especial, águas marinhas e turmalinas.

 

Três dos suspeitos, sendo dois deles residentes em Bom Jesus da Lapa, no estado da Bahia, e a mulher, natural de São Paulo, foram presos em Salinas . Os outros  dois, em Coronel Murta.

 

Foram apreendidos três revólveres e uma pistola, vinte cartuchos calibre .38 e sete calibre .32,   além de 15 cartuchos .380

 

 Um veículo Sandero Renault, que estava escondido em uma fazenda a 10 km de Coronel Murta e que seria utilizado no assalto, também foi apreendido.

 

 O carro  foi roubado de uma mulher, na cidade de Virgem da Lapa, a 57 km de Coronel Murta.Um homem identificado como André Pereira Santos,vulgo Dogão, de 35 anos, vigiava o veículo. Ele tentou fugir com a chegada da polícia , mas foi alcançado, imobilizado e  preso. Dogão confessou que era foragido da Justiça de Araçuai mas, não  havia  nenhum mandado de prisão contra ele.

 

 

 

Assalto milionário

 

Em maio de 2015, grupo se passando por policiais invadiu casa de pedrista em Barra do Salinas levando pelo menos 150 quilos de pedras preciosas.

 

Em maio de 2015, uma quadrilha invadiu a casa de um comerciante de pedras preciosas e levou cerca de 150 quilos de pedras preciosas, avaliadas em R$ 1,5 milhão além de cristais e R$ 150 mil em dinheiro. No assalto, foram usados três veículos, entre eles,uma blaizer imitando viatura da Polícia Civil e um Gol prata sem placa.

 

O assalto cinematográfico  ocorreu na madrugada 19 de maio, em Barra do Salinas, distrito de Coronel Murta e localidade onde se concentram maioria da lavras de pedras preciosas.

 

Os bandidos permaneceram na casa por cerca de 40 minutos. Um irmão do comerciante, percebendo a movimentação foi até ao local e acabou sendo rendido pelos bandidos. 

 

Os reféns foram amarrados e colocados no andar de baixo da casa.Os bandidos disseram para o comerciante que já estavam de olho nas pedras e que se ele não as entregasse, o filho do casal seria morto.

 

 

Um ano depois, suspeitos de participarem do assalto foram presos durante operação da Polícia Federal, em Montes Claros.  Segundo a Polícia Federal,  o grupo era responsável pela distribuição de armas e drogas para o Norte de MG e Vale do Jequitinhonha.

 

A Pf não informou se as aédras preciosas foram recuperadas. O comerciante evitou comentar o caso.

 

 

Gazeta de Araçuai