Seu Internet Explorer está desatualizado

Para uma melhor visualização do site, utilize a mais nova versão ou escolha outro navegador.

Notícias » Polícia

17/03/2017 - 15:36 - Fonte: O Tempo

Procurado pela Interpol, é preso em Portugal e levado para Diamantina

o condenado matou a ex-namorada a facadas, no centro de Diamantina

Foto: Arquivo Procurado pela Interpol, é preso em Portugal e levado para Diamantina
Imagem antiga e recente de Ricardo Leonel Lima (Divulgação/PC)

A Polícia Federal (PF) extraditou, de Portugal para o Brasil, o foragido Ricardo Leonel Lima, condenado pelo Tribunal do Júri da Comarca de Diamantina, no Alto  Vale do Jequitinhonha, a 20 anos de reclusão, pela prática do crime de homicídio duplamente qualificado de uma estudante universitária de 21 anos, com quem teve um relacionamento amoroso.

 

 

Ricardo estava foragido há 13 anos e se escondia em Portugal, na cidade de Queluz, desde que cometera o crime, em dezembro de 2003. Inconformado com o fim do namoro, Ricardo, à época com 23 anos, matou a estudante com vários golpes de faca, nas dependências da faculdade em que a vítima estudava, no centro de Diamantina. O ocorrido causou grande comoção na cidade.

 

 

Apesar de preso preventivamente, valendo-se do benefício concedido pela justiça para aguardar em liberdade o trâmite do processo criminal, Ricardo deixou o Brasil em agosto de 2007, fazendo uso de documentos falsos. Em outubro de 2009, ele foi condenado pelo Tribunal do Júri de Diamantina e, desde janeiro de 2010, seu nome fora lançado na lista de foragidos internacionais procurados pela Interpol.

 

 

Após longa e meticulosa investigação realizada pela PF em Minas Gerais – como Representação da Interpol no Brasil – e com o apoio da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher de Diamantina e da Polícia Judiciária de Portugal, descobriu-se que o foragido se valia de nome falso e vivia na cidade portuguesa com esposa brasileira e filha nascida naquele país, onde trabalhava como operário de uma indústria açucareira.

 

 

Atualmente com 36 anos, Ricardo foi preso no dia 20 de setembro de 2016 pela Polícia Judiciária de Portugal; e, nessa quinta-feira (16), devidamente escoltado por Policiais Federais brasileiros, foi extraditado para o Brasil.

 

Após ser submetido a exames de corpo delito, o preso será encaminhado, ainda nesta sexta-feira (17), ao Presídio Regional de Diamantina, onde permanecerá à disposição da Justiça brasileira.