Seu Internet Explorer está desatualizado

Para uma melhor visualização do site, utilize a mais nova versão ou escolha outro navegador.

Notícias » Cultura

21/11/2017 - 13:14 - Fonte: Gazeta de Araçuai

Arraial dos Crioulos em Araçuai comemora Dia da Consciência Negra

As festividades foram encerradas neste domingo (19)

Foto: Gazeta de Araçuai Arraial dos Crioulos em Araçuai comemora Dia da Consciência Negra
Festa acontece no coração do bairro e atrai visitantes da cidade e região.

 

Os festejos, que já fazem parte da tradição na comunidade,  duraram pelo menos uma semana e contou com palestras, apresentações culturais ,  dos tamborzeiros do Rosário de Araçuai,  percussionistas do Grupo Guingem,  também de Araçuai, Pretinho da Sanfona, além de barraquinhas.

 

 

Tamborzeiros do Rosário de Araçuai participaram do encerramento da festa.

 

 

De acordo com Maria Helena Gomes Santos, uma das organizadoras dos festejos, a festa acontece  há 7 anos, mas a feijoada é uma tradição dos moradores da comunidade e também da festa.

 

 

O garoto Rodrigo de Sousa, de 8 anos, cantava com a alma e o coração, as músicas dos tamborzeiros.

 

O Grupo de Tamborzeiros da Irmandade do Rosário dos Homens Pretos de Araçuai, participou do encerramento, na tarde de domingo, com apresentação da roda de  batuque que envolveu os presentes.

 

 

Maria Helena Santos, presidente da Associação dos Moradores Quilombolas do bairro, reclama da falta de apoio.

 

Ela reclamou da falta de apoio à festa. “ São poucos que apoiam, incluindo os gestores que não teem interesse pela nossa cultura. Mesmo assim, é gratificantes ver a alegria do povo, dos idosos, das crianças que vão se conscientizando do valor da cultura negra. Este ano foi o mais difícil pelo pouco patrocínio que recebemos”, lamentou Maria Helena.

 

 

Barraca montada no local abriga as atividades.

 

As festividades foram encerradas na noite deste domingo (19).

 

Localizado às margens do Córrego Calhauzinho que ao longo dos anos vem sofreando assoreamento e poluição, o  Arraial dos Crioulos concentra  mais de 100 famílias , que são descendentes de escravos .

 

 

 

O bairro, considerado o mais antigo de Araçuai, foi reconhecido em 2007 como área remanescente de quilombolas pela Fundação Palmares, uma instituição ligada ao governo federal.

 

DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA É LEMBRADO EM TODO BRASIL

 

 

 

Vista do Quilombo dos Palmares, exterminado em 1694. Atualmente ocupa 27 mil km quadrados dos estados de Alagoas, Pernambuco, Bahia e Sergipe.

 

 

Mais de mil cidades brasileiras comemoram, em 20 de novembro, o Dia da Consciência Negra. A data, incluída em 2003 no calendário nacional, refere-se à morte de Zumbi dos Palmares, o último líder do maior dos quilombos do período colonial, o Quilombo dos Palmares.

 

 

Comemorada há mais de 30 anos por ativistas do movimento negro, a data foi oficializada pela Lei 12.519 de 2011. 

 

 

COMO SURGIU

 

Em plena ditadura militar, um pequeno grupo de cidadãos negros costumava se reunir no centro de Porto Alegre para discutir a situação dos descendentes de africanos no Brasil.

 

Nessas conversas, eles concluíram que o 13 de maio – Dia da Abolição da Escravatura, assinada pela princesa Isabel em 1888 – não tinha maior significado. Era preciso, então, encontrar uma nova data para reverenciar a luta da população negra brasileira e enaltecer sua participação na sociedade. Nascia, assim, o 20 de novembro, Dia Nacional da Consciência Negra – data de evocar a figura de Zumbi e o Quilombo de Palmares e de discutir a situação do negro no país.

 

 

A data é celebrada com atividades durante todo mês de novembro. Entidades da sociedade civil, principalmente o movimento negro, instituições públicas e privadas se mobilizam, em todo o País.

 

 

O objetivo é discutir as violações aos direitos da população negra, o enfrentamento do racismo, mais oportunidades para ascensão socioeconômica dos afro-brasileiros, entre outros temas. 

 

 

Fruto de uma intensa articulação do Movimento Negro Brasileiro, o 20 de Novembro é uma referência à reflexão sobre o papel dos negros e negras para construção do País.

 

 

 

 

Sérgio Vasconcelos

Repórter