Seu Internet Explorer está desatualizado

Para uma melhor visualização do site, utilize a mais nova versão ou escolha outro navegador.

Notícias » Saúde

01/12/2017 - 10:56 - Fonte: Aconteceu no Vale

Hospital de Diamantina ameaça fechar as portas

Instituição atende municípios das regiões do Alto e Médio Jequitinhonha

Foto: arquivo Hospital de Diamantina ameaça fechar as portas
Segundo a diretoria, o hospital amarga uma dívida de R$ 18 milhões

O Hospital Nossa Senhora da Saúde, em Diamantina, no Vale do Jequitinhonha, está em estado de alerta e corre o risco de ter o atendimento paralisado a partir desta sexta-feira (01/12/2017) se não receber ajuda do Estado e dos municípios da região. A instituição, cujo atendimento é 92% feito pelo SUS, alega falta de repasses.

 

Segundo a direção da instituição, o repasse de verbas estaduais está atrasado desde o fim do ano passado. Dos R$ 800 mil que caberiam ao Estado, estariam chegando, em média, R$ 600 mil.

 

 

A unidade que atende cerca de 53 cidades receberia ajuda de custo de R$ 40 mil da Prefeitura de Diamantina, o que seria insuficiente, segundo o diretor administrativo da casa, Dalgesio João dos Santos. “Temos uma dívida de R$ 18 milhões com fornecedores, além de estarmos com o salário do corpo clínico atrasado há dois meses”, destacou.

 

 

Em reunião com o secretario de Estado de Saúde, Sávio Souza Cruz, em Belo Horizonte, o prefeito de Diamantina, Juscelino Brasiliano Roque, que também é presidente do Consórcio Intermunicipal de Saúde do Alto Jequitinhonha (CISAJE), o prefeito de Itamarandiba, Luiz Fernando Alves, que preside a Associação dos Municípios da Microrregião do Alto Jequitinhonha (AMAJE), e mais 30 prefeitos, totalizando 32 gestores, entregaram uma carta ao governador Fernando Pimentel solicitando o repasse, em caráter de urgência, de R$ 1,2 milhão para evitar o fechamento do hospital.

 

 

Na reunião, os 23 maiores municípios da região se comprometeram a tentar ajudar com duas parcelas de R$ 368 mil no meses de novembro e dezembro.

 

 

OFÍCIO DO HOSPITAL

 



 

NOTA DIVULGADA PELA PREFEITURA DE DIAMANTINA:

 

 

O prefeito de Diamantina Juscelino Brasiliano Roque, que também é presidente do Consórcio Intermunicipal de Saúde do Alto Jequitinhonha (CISAJE), o prefeito de Itamarandiba, Luiz Fernando Alves, que também é presidente da Associação dos Municípios da Microrregião do Alto Jequitinhonha (AMAJE), e mais 30 chefes do Executivo municipal, totalizando 32 prefeitos, estiveram reunidos até o início da noite de ontem, terça-feira, 28 de novembro, com o secretário de Estado da Saúde, Sávio Souza Cruz, na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte, para reivindicar recursos para o Hospital Nossa Senhora da Saúde, que está ameaçado de fechar as portas.

 

 

Também estavam presentes a diretoria da instituição, que amarga uma dívida de R$ 18 milhões; secretários municipais de saúde e vereadores. “Pela primeira vez, conseguimos que os prefeitos da região atuassem em um esforço conjunto para tentar manter a unidade funcionando. O hospital atende várias especialidades e a população de toda a região. Seu fechamento será uma tragédia na saúde”, afirmou Juscelino Roque.

 

O Hospital Nossa Senhora da Saúde tem 82 leitos, dez leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) adulto; oito leitos de UTI Neonatal; dois leitos de UTI Pediátrico. Trabalham na unidade 40 médicos e mais 237 funcionários. O corpo clínico não recebe os salários há dois meses por falta de recursos e o hospital já anunciou uma paralisação. A instituição pertence à Irmandade Nossa Senhora da Saúde e há muitos anos enfrenta dificuldades financeiras.

 

 

 

NOTA DA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE

 

 

 De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, o Hospital Nossa Senhora da Saúde já vem enfrentando uma situação difícil há alguns anos

 

. No governo passado, o Hospital fechou por quatro vezes. Diamantina, hoje, é um município de gestão plena.  Na terça-feira  (28/11), o gestor deste município foi notificado pela direção do hospital sobre a suspensão do atendimento à população, a partir desta quarta-feira (29/11).

 

Diante disso, o município e a Regional de Saúde convocaram uma reunião com os municípios envolvidos, que têm referência no hospital, para definir um novo fluxo de atendimento e de remanejamento dos recursos para a população não ficar desassistida. Uma equipe da Secretaria de Estado de Saúde irá para Montes Claros  para dar suporte na discussão e na solução do problema até que a situação seja resolvida definitivamente. Cabe informar que a reunião entre o secretário Sávio Souza Cruz e os prefeitos, realizada na terça-feira (28/11), também deixa claro o empenho do Estado em dialogar juntos aos municípios, em busca de soluções às demandas apresentadas.