Seu Internet Explorer está desatualizado

Para uma melhor visualização do site, utilize a mais nova versão ou escolha outro navegador.

Notícias » Política

06/08/2018 - 21:42 - Fonte: O Tempo

Pacheco desiste da disputa pelo governo de Minas para apoiar Anastasia

Em coletiva de imprensa, deputado federal afirma que o sonho não terminou, foi apenas adiado.Ele será candidato a senador.

Foto: divulgação Pacheco desiste da disputa pelo governo de Minas para apoiar Anastasia
Rodrigo Pacheco anunciou a desistência da candidatura após encontro com Rodrigo Maia

O deputado federal Rodrigo Pacheco (DEM), confirmou, no início da noite desta segunda-feira (6), que desistiu da candidatura ao governo de Minas Gerais para disputar uma vaga ao Senado na chapa de Antonio Anastasia (PSDB) ao comando do Estado.

 

Em coletiva de imprensa, na região Centro-Sul de Belo Horizonte, o parlamentar afirmou que a decisão foi tomada após um acordo nacional entre os dois partidos em prol do candidato dos tucanos à Presidência da República, Geraldo Alckmin.

 

Reunião contou com presença de Geraldo Alckmin; Anastasia e Rodrigo Maia |

 

O comunicado ocorreu um dia após o democrata ser lançado oficialmente, em um megaevento, como candidato ao Palácio da Liberdade e negar, por inúmeras vezes, que iria desistir do pleito ao Palácio da Liberdade. Aos jornalistas, ele afirmou que o sonho não terminou, mas sim foi apenas adiado.

 

“E transferimos a responsabilidade para Anastasia, e isso é seguramente natural, embora com sacrifício. Embora eu tenha mantido em um momento a candidatura, se eu fosse eleitor, eu seguramente votaria em Anastasia”, disse Pacheco. 

 

Questionado se o tom de sua pré campanha, “nem um nem outro”, não seria incoerente com a nova aliança, Pacheco negou que já tenha criticado Anastasia: “Eu jamais critiquei a pessoa Anastasia, cuja ética e decência são reconhecidas por todos. As manifestações de apoio ao logo da pré campanha são naturais da política. Acreditávamos na nossa proposta de terceira via, que era tão eficiente quanto à proposta de Anastasia. Agora vamos olhar pra frente. Anastasia seguramente vai defender nossos princípios e conceitos. O grande mote da união é garantir que Alckmin seja eleito”.

 

Lideranças

 

Também participaram desse anúncio o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), Geraldo Alckmin e Antonio Anastasia. Todos eles participaram, na tarde desta segunda-feira, de uma reunião com Pacheco na capital mineira para comunicar que ele deveria retirar sua candidatura, por conta da aliança formada entre DEM e PSDB nacionalmente. 

 

Rodrigo Pacheco explicou que as costuras nacionais foram feiras pelo presidente de seu partido, o prefeito de Salvador ACM Neto e Rodrigo Maia, com o intuito de viabilizar um projeto nacional “muito importante para Minas e para o Brasil”.

 

“Não podemos errar nessa, temos um desalinhamento histórico com o governo federal e Minas, e Alckmin traz uma solução para isso. Esse acordo nacional portanto fez com que de fato com que esse ato de desprendimento, adiando um sonho que tenho, de abrir a mão da candidatura”, afirmou.  

 

O presidente da Câmara afirmou que após conversas, Pacheco entendeu que iriam aumentar as chances vitória de campo de oposição ao atual governador do Estado, Fernando Pimentel (PT).

 

“O Rodrigo entendeu que teríamos uma chance de vitória muito maior, até em primeiro turno, com o grupo todo junto. Ainda mais Minas que é um Estado primordial para o nosso candidato a presidente, Geraldo Alckmin”, afirmou Rodrigo Maia. 

 

Em sua fala, o senador Antonio Anastasia, que é amigo pessoal do até então pré-candidato do DEM, disse que esse foi um passo importante dado por ele e que, desde sempre, afirmou que era preciso ter uma convergência entre Minas e o governo federal. 

 

“Pra isso foi muito importante que o centro democrático declarasse apoio ao Alckmin e agora em Minas, que passaram a concordar com a convergência conosco. Rodrigo tem o valor reconhecido, sempre achei que ele tinha todas as condições de ser governador e ainda acho que o será pela frente”, declarou.