Seu Internet Explorer está desatualizado

Para uma melhor visualização do site, utilize a mais nova versão ou escolha outro navegador.

Notícias » Cidades

28/09/2018 - 06:35 - Fonte: G-1

Incêndio atinge unidade de preservação no Vale do Jequitinhonha

A unidade faz parte do bioma da Mata Atlântica e abriga espécies ameaçadas de extinção, como o muriqui-do-norte, a borboletinha-baiano e a onça parda.

Foto: divulgação Incêndio atinge unidade de preservação no Vale do Jequitinhonha
A Reserva Biológica da Mata Escura foi criada em 2003 e possui aproximadamente 51 mil hectares.

Um incêndio criminoso atingiu a Reserva Biológica da Mata Escura, em Jequitinhonha, e foi contido na manhã desta quinta-feira (27).

 

Segundo a chefe da unidade de preservação, Márcia de Souza Nogueira, as chamas começaram na noite da última segunda-feira (24).

 

“Nós recebemos informações de que uma pessoa de fora da unidade deu início a esse incêndio, não se sabe com qual propósito. Estamos apurando e vamos procurar a polícia, porque os danos foram muito grandes. Chegamos a ter 50 pessoas combatendo o fogo, sendo 24 dos nossos brigadistas e voluntários treinados que se ofereceram para auxiliar nos trabalhos”, explicou.

 

“Ainda não sabemos o tamanho dos danos, mas foi muito grande, porque era uma área de morro em difícil acesso. Tivemos brigadistas que caminharam cinco horas apenas para chegar no local das chamas. Como era área de mata seca, o combate foi feito com bombas costais, foices e facões”, disse Márcia Nogueira.

 

Ela conta ainda que o trecho incendiado não registrava incêndio há cerca de 10 anos. “É muito triste, porque estávamos monitorando a recuperação dessa mata. Tivemos muitas nascentes queimadas, os brigadistas viram muitos animais fugindo do fogo”.

 

A reserva

A Reserva Biológica da Mata Escura foi criada em 2003 e possui aproximadamente 51 mil hectares. A unidade faz parte do bioma da Mata Atlântica e abriga espécies ameaçadas de extinção, como o muriqui-do-norte, a borboletinha-baiano e a onça parda.

 

Incêndio na Reserva da Mata Escura — Foto: Andrey Pereira/Arquivo Pessoal