Seu Internet Explorer está desatualizado

Para uma melhor visualização do site, utilize a mais nova versão ou escolha outro navegador.

Notícias » Economia

20/10/2018 - 11:20 - Fonte: HD

Queijo do Serro ganha marca própria que garante procedência da iguaria

A produção do queijo nas propriedades rurais é toda artesanal.

Foto: arquivo Queijo do Serro ganha marca própria que garante procedência da iguaria
A iguaria é registrada como Patrimônio Cultural e Imaterial Brasileiro

A marca "Região do Serro", selo que garantirá a qualidade e a procedência do queijo artesanal da região, será lançada nesta quarta (24), na cidade do Serro, na região do Alto Vale do Jequitinhonha (MG). Área produtora, composta por 11 municípios, possui cerca de 750 queijeiros. Produção anual chega a 3,66 mil toneladas.

 

O lançamento da marca será feito pelo Sebrae Minas em parceria com a Associação dos Produtores Artesanais de Queijo do Serro (Apaqs). De acordo com o Sebrae, trata-se da valorização da região a partir do produto, um dos grandes representantes da gastronomia mineira, conhecido desde a época da Coroa Portuguesa.

 

A iguaria é registrada como Patrimônio Cultural e Imaterial Brasileiro e certificada pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) com o selo Indicação Geográfica (IG), na modalidade Indicação de Procedência (IP), que garante sua origem.

 

A região produtora do Queijo do Serro é composta pelas cidades de Alvorada de Minas, Coluna, Conceição do Mato Dentro, Dom Joaquim, Materlândia, Paulistas, Rio Vermelho, Sabinópolis, Santo Antônio do Itambé, Serra Azul de Minas e Serro. 

 

 

De acordo com cadastramento realizado pelo instituto, em conjunto com a Universidade Federal de Viçosa, a região possui aproximadamente 750 produtores que, juntos, somam uma produção anual de 3,66 mil toneladas, cerca de 10 toneladas por dia do famoso queijo artesanal.

 

Os produtores são, em sua maioria, agricultores familiares, de pequeno porte, com produção média diária em torno de 15 unidades.

 

Segundo o Sebrae, o apoio da entidade ajudou os produtores a organizarem sua associação e reposicionarem o produto no mercado por meio da maturação do queijo e da valorização da origem. A produção do queijo nas propriedades rurais é toda artesanal. altitude e o clima são determinantes para as características do produto e contribuem para definir o terroir, a exemplo dos melhores queijos franceses e italianos. "A marca Região do Serro vem expressar a identidade do território e faz parte da estratégia de valorização do queijo e de seus produtores", afirmou Ricardo Boscaro, analista de Agronegócios do Sebrae Minas.

 

 

Iguaria premiada

 

 

No ano passado, o Queijo do Serro ganhou destaque internacional ao conquistar quatro medalhas – três de prata e uma de bronze - no Mondial du Fromage, realizado na cidade de Tours, na França. 

 

A iguaria mineira concorreu com 700 produtos de 20 países. De acordo com o Sebrae, as ações da instituição de estímulo à valorização do queijo do Serro foram fundamentais para o êxito em terras francesas, já que o Sebrae orienta produtores sobre a importância do trabalho em grupo, o fortalecimento do associativismo, a revisão do regulamento de uso da Indicação de Procedência e a análise do mercado, além de participação em feiras e eventos.