Seu Internet Explorer está desatualizado

Para uma melhor visualização do site, utilize a mais nova versão ou escolha outro navegador.

Notícias » Política

08/11/2018 - 11:52 - Fonte: Gazeta de Araçuai

Banheiros públicos do Empório de Araçuai fechados há 6 meses, provocam revolta

Comerciantes e usuários culpam prefeito municipal pelo descaso. Prefeitura não se pronunciou sobre o problema.

Foto: Gazeta de Araçuai Banheiros públicos do Empório de Araçuai fechados há 6 meses, provocam revolta
Centenas de pessoas circulam diáriamente pela área do mercado municipal

Construído para ser utilizado pela população em um dos pontos de maior circulação da cidade, os banheiros públicos do Empório Popular do Mercado Municipal de Araçuai; no Vale do Jequitinhonha (MG) estão fechados há pelo menos seis meses;  sem previsão para reabertura; conforme aviso afixado na entrada. No local existem bares e restaurantes.

 

 

Nos sábados, número de usuários se multiplica. Falta de banheiros provoca indignação.

 

“O mercado municipal é uma referência. É aqui que a gente encontra as pessoas, resolve assuntos. Antigamente esse banheiro era bonitinho e todo arrumado. Agora nem abre mais. Isso aqui tem que cumprir uma função social e precisamos que volte a funcionar”, diz o aposentado Luis de Souza, que ficou decepcionado ao se deparar com a porta trancada. “Vou ter que pedir para usar o banheiro em alguma loja. Muito triste essa situação” reiterou.

 

 

 

Ficamos com vergonha de toda hora pedir banheiro emprestado para lojistas- diz Fabiana Roque.

 

Para a comerciante Fabiana Roque, que há  9 meses serve refeições em um dos box do Empório Popular, a situação exige uma explicação. “O prefeito não teve respeito com a gente. Nós que passamos o dia todo aqui; temos de pedir emprestado o banheiro de lojas e farmácias, mas eles não tem obrigação de nos ajudar e não é toda hora que conseguimos. Já fui até furtada aqui, quando precisei sair”, desabafou.

 

 

Aviso de interdição e propagandas eleitorais na porta dos banheiros, surpreendem usuários.

 

 

A  situação é precária no local:  mau cheiro, sanitários destruídos, sujeira e lixo. Na porta, um aviso de interdição e propagandas eleitorais de candidato a deputado estadual pelo PT- partido do prefeito; surpreendem os usuários.

 

“ A maioria está fazendo suas necessidades no canto da parede, homens e mulheres. O prefeito não vê isso.  Falaram pra gente que o dinheiro para esta reforma já estava na conta, mas ninguém nunca viu.”, estamos revoltados, diz a comerciante. 

 

José Adauto, aposentado que frequenta o local, diz que a situação é absurda e que soube através dos comerciantes que o argumento usado pelo prefeito é que o mercado será reformado. “Todo mundo pode precisar usar um banheiro quando está na rua. Será que a prefeitura não tem condição de consertar isso antes dessa tal reforma?. Como é que tem dinheiro para fazer micareta? destaca o aposentado. ( A prefeitura liberou em setembro; R$ 250 mil para uma empresa privada realizar a Micareta da cidade)
 
Com as portas lacradas o que se vê é a  indignação e revolta com a situação. Quem necessita usar banheiro público; precisa se deslocar para o interior do mercado; onde no final existem outros banheiros. " É contramão quem está aqui no Empório se deslocar até o final do mercado, para encontrar um banheiro. Muito longe"; reclamam os usuários.

 

“Até pensei que tinha vindo ao lugar errado quando vi a porta fechada. O mais preocupante é que tem pessoas com deficiência que param aqui para esperar o ônibus e precisam usar o banheiro. Falta bom senso. O banheiro público é uma necessidade. O prefeito tem que levantar da cadeira e ir às ruas para conhecer a realidade da cidade”, diz o aposentado José Adauto; residente no Bairro Esplanada.

 

Aposentada Maria Emília diz que situação é constrangedora.

 

Esta situação está prejudicando todos os comerciantes que trabalham com alimentação aqui no empório.Muitas vezes temos que deixar os fregueses lavarem as mãos na pia de nossas cozinhas. Isso é ruim. “ Estou operada e tenho que caminhar até a rodoviária quando preciso ir a um banheiro porque os lojistas já não estão aceitando que o banheiro deles sejam utilizados. É constrangedor”, lamenta Maria Emília Soares de Sousa, uma aposentada de 62 anos. A filha dela aluga um dos box do empório para fornecimento de refeições.

 

Procurado pela reportagem, o médico e eventual prefeito Armando Paixão (PT), através da Assessoria de Comunicação; não se pronunciou. 

 

Sérgio Vasconcelos

Repórter