Seu Internet Explorer está desatualizado

Para uma melhor visualização do site, utilize a mais nova versão ou escolha outro navegador.

Notícias » Polícia

28/11/2018 - 18:32 - Fonte: Gazeta de Araçuai

Coxinha é condenado a 6 anos de reclusão por homicídio em Araçuai

O crime ocorreu em janeiro de 2017. O acusado estava preso em Novo Cruzeiro, onde se entregou.

Foto: Gazeta de Araçuai Coxinha é condenado a 6 anos de reclusão por homicídio em Araçuai
O julgamento ocorreu nesta quarta-feira (28) no Fórum da Comarca de Araçuai

A Justiça condenou o corretor de veículos,  Rogério Lopes Santos, conhecido por Coxinha, 47 anos, a  6  anos de prisão pelo assassinato de Wanderson Ramos Ramalho,  38 anos. A vítima foi morta a tiros em janeiro de 2017, em uma praça do bairro Bela Vista, em Araçuai, no Vale do Jequitinhonha, após uma discussão com o acusado.

 

O júri popular do réu foi realizado nesta quarta-feira (28), no Fórum da Comarca de Araçuai. De acordo com a sentença, Coxinha vai cumprir a pena em regime semiaberto. Ele estava preso  desde  2017, em Novo Cruzeiro, na mesma região; onde se entregou dias após o crime. Ele foi conduzido para o presídio de Araçuai, um dia antes do julgamento.

 

O corpo de jurados, formado por quatro mulheres e tres homens considerou o acusado culpado por homicídio simples e o  juiz Marco Anderson Almeida Leal proferiu a sentença no inicio da tarde. O julgamento  teve inicio por volta das 9 horas da manhã, e durou pouco mais de 4 horas.

 

O condenado a pena superior a quatro anos e não superior a oito anos de prisão, se não for reincidente, deve iniciar o cumprimento de pena no regime semiaberto, em colônia agrícola ou estabelecimento similar, como as APACs. Neste sistema o réu dorme na prisão e sai pela manhã para trabalhar. Ele pode reduzir um dia de pena a cada três dias trabalhados.

 

 

Anderson Ramalho de 38 anos foi perseguido e morto dentro do carro.

 

 

Relembre os fatos

 

O crime ocorreu por volta das 21h  do dia 21 de janeiro de 2017. De acordo com a Polícia Militar (PM), uma caminhonete Amarok, de cor prata, conduzida por Coxinha,  perseguiu o veículo em que a vítima estava e  disparou vários tiros .

 

O reú acusou a vítima de tê-lo ameaçado com uma pistola, quando ele  estava comemorando com amigos e uma filha pequena o seu  aniversário em uma mercearia do bairro onde o crime ocorreu. Ainda segundo as declarações do réu, a vítima, passou com o carro várias vezes pelo local , e depois os dois discutiram, momento que a vítima  o acusou de X-9 ( dedo duro ) porque o mesmo colaborava com a polícia.

 

No decorrer do processo, a defesa  de Coxinha pediu que constasse no processo;  o fato da vítima já ter sido condenada anteriormente por um homicídio em São Paulo.

 

Após ser baleado a vítima perdeu o controle do veículo.

 

 

 

Após a discussão, Coxinha entrou em seu carro, momento em que começou a perseguição. Após ser atingido pelos disparos, Wanderson perdeu o controle do carro e subiu na calçada da praça dona Quiqui, a principal do bairro. A vítima  foi socorrida por uma testemunha e levada para o hospital da cidade, mas não resistiu.

 

 

Testemunhas contaram que viram a vítima discutindo com  Coxinha e em seguida teve início a perseguição.

 

Na época do crime, o veículo que a vítima conduzia foi apreendido porque se encontrava com a documentação atrasada.

 

Gazeta de Araçuai