Seu Internet Explorer está desatualizado

Para uma melhor visualização do site, utilize a mais nova versão ou escolha outro navegador.

Notícias » Cidades

10/12/1018 - 11:48 - Fonte: G-1

Parte da BR-367 desaba após cheia do Rio Rubim no Vale do Jequitinhonha

Trecho entre as cidades de Almenara e Jacinto já estava interditado desde sábado (8) e estrutura desabou na madrugada desta segunda-feira (10).

Foto: divulgação Parte da BR-367 desaba após cheia do Rio Rubim no Vale do Jequitinhonha
O trecho da rodovia é de responsabilidade do DNIT que ainda não se posicionou.

Uma parte da BR-367 desabou na madrugada desta segunda-feira (10) no trecho que liga as cidades de Almenara a Jacinto, no Vale do Jequitinhonha. Segundo a Polícia Militar Rodoviária, desde o último sábado (8), o trânsito no trecho já estava interrompido em função da cheia do Rio Rubim do Sul, que transbordou e invadiu a pista.

 

Ainda de acordo com a polícia, embaixo da pista havia um aterro que firmava manilhas por onde passava o leito do rio. As manilhas não comportaram o volume d'água após as chuvas e o aterro foi destruído pela correnteza.

 

Motoristas estão realizando desvio por Rubim pela estrada de Conceição. O caminho é indicado apenas para automóveis menores, pois não é pavimentado e oferece risco de caminhões atolarem. Outra possibilidade é o uso de balsa terceirizada que passa por Avaí, distrito de Jacinto.

 

O trecho da rodovia é de responsabilidade do DNIT que ainda não se posicionou.

 

Problema antigo

 

 

Moradores da região sofrem com o trecho há anos. Em 2015, o local contava com uma ponte de madeira, que foi interditada após 60% da estrutura desabar em função das más condições de conservação.

 

 

Uma passagem provisória foi instalada e permaneceu no local por dois anos, até que o Exército realizou obras instalando as manilhas e fazendo o aterro que foi levado nesta segunda-feira.

 

 

 

A BR-367, que nasce em Diamantina (MG) e vai até Santa Cruz Cabrália (BA).Pelo menos 120 km estão sem asfalto e promessa de obras foi feita pelos governos Lula e Dilma.