Seu Internet Explorer está desatualizado

Para uma melhor visualização do site, utilize a mais nova versão ou escolha outro navegador.

Notícias » Polícia

06/02/2019 - 09:37 - Fonte: PF

Polícia Federal cumpre mandados em 3 cidades do Vale do Jequitinhonha

As investigações da chamada “ Operação Estropie” começaram há 9 meses e apuraram obtenção ilícita de dinheiro em espécie e outros bens por parte de policiais rovodiários, além de suposto envolvimento de policiais com quadrilhas de assalto de cargas e desvio de combustíveis na região de Itaobim.

Foto: arquivo Polícia Federal cumpre mandados em 3 cidades do Vale do Jequitinhonha
Em Itaobim, policiais federais cumpriram mandado de busca e apreensão.

 

A Polícia Federal deflagrou uma operação em Teófilo Otoni, no Vale do Mucuri e em três cidades do Vale do Jequitinhonha (MG), na manhã desta quinta-feira (7) que resultou em seis pessoas presas.

 

De acordo com a corporação, a ação tem o objetivo de combater os crimes de corrupção passiva, inserção de dados falsos em sistemas de informações, receptação; associação criminosa e prevaricação.

 

Foram cumpridos três mandados judiciais de prisão preventiva, três mandados de prisão temporária e 10 mandados judiciais de busca e apreensão.

 

Todos foram expedidos pela Polícia Federal de Teófilo Otoni; onde foram cumpridos 5 mandados de busca e apreensão e 3 mandados de prisão preventiva. Os demais foram cumpridos em Itaobim- um mandado de busca e apreensão- Salinas- um mandado de busca e apreensão e um mandado de prisão preventiva em Cachoeira de Pajéu- três mandados de busca e apreensão e dois mandados de prisão temporária.

 

As investigações da chamada “ Operação Estropie” começaram há 9 meses e apuraram obtenção ilícita de dinheiro em espécie e outros bens por parte de policiais rovodiários, além de suposto envolvimento de policiais com quadrilhas de assalto de cargas e desvio de combustíveis na região de Itaobim.

 

O inquérito está sendo conduzido pelo delegado da Polícia Federal, Cristiano Ladeira.

 

Os presos foram conduzidos para a penitenciária Nelson Hungria, em BH e penitenciária de Teófilo Otoni. Se condenados poderão pegar até 30 anos de reclusão.