Seu Internet Explorer está desatualizado

Para uma melhor visualização do site, utilize a mais nova versão ou escolha outro navegador.

Notícias » Cidades

20/03/2019 - 14:14 - Fonte: Gazeta de Araçuai

Morre aos 108 anos, mulher mais velha de Coronel Murta.

Ela estava no seleto grupo de brasileiros com mais de 100 anos.

Foto: Vereador Dindol Morre aos 108 anos, mulher mais velha de Coronel Murta.
Dona Cristina sofreu um AVC há 20 dias e chegou a ser internada mas não resistiu.

 

Quando ela nasceu, em 15 de agosto de 1910, o Brasil republicano era apenas um adolescente, com Hermes da Fonseca eleito presidente da República. A escravidão, apesar de abolida havia 12 anos, ainda lançava sombras sobre o país e o futuro presidente, Tancredo Neves, contava apenas com 5 meses de nascido.

 

Certidão de nascimento de Dona Cristina de Jesus.

 

Foi nesse tempo, no limiar do século 20, que  Cristina Pereira de Jesus,  carinhosamente conhecida como Cristina Baú, chegou ao mundo, mais exatamente na Fazenda Gongolô,  zona rural de Coronel Murta, no Vale do Jequitinhonha (MG), a  588 quilômetros de Belo Horizonte.

 

 Residente  naquela pequena cidade do nordeste de Minas, conhecida como Terra do Sol, dona Cristina de Jesus faleceu aos 108 anos,  no final da tarde desta terça-feira (19) na Unidade Básica de Saúde local. Ela será sepultada na tarde desta quarta-feira(20) no cemitério municipal.

 

Há 20 dias, ela havia sofrido um AVC-Acidente Vascular Cerebral, e ficou internada por uma semana no hospital São Vicente em Araçuai, cidade vizinha a Coronel Murta.

 

 

Dona Cristina estava no seleto grupo de brasileiros com mais de 100 anos. Ela  teve três filhos, sendo dois falecidos. Deixou 4 netos, 16 bisnetos, e 5 tataranetos. Segundo o vereador Dindol,  mesmo com dificuldades, ela  andava no interior da casa onde morava com uma filha e uma neta -  escutava pouco, mas estava lúcida.

 

A idosa vivia com a filha caçula, Maria, de 80 anos.

 

De acordo com o Censo do IBGE de 2010, o Brasil tem 24.200  pessoas nessa faixa etária. Em números absolutos, Minas é o terceiro da lista, com 2. 600, ficando nas primeiras posições Bahia (3.500) e São Paulo (3.200). Em Belo Horizonte, há 332 homens e mulheres tão longevos.


 

Longevas

 

A lavradora Joaquina Loyola, também de Coronel Murta, faleceu aos 107 anos, em 2016.

 

Em 5 de julho de 2016, morria na Comunidade de Olhos D’Água, zona rural de Coronel Murta, a lavradora Joaquina Loyola Fonseca. Aos 107 anos, dona Joaquina, como era  conhecida,  era considerada a mulher mais velha do município.

 

 

Ela vivia em uma casa simples, com fogão à lenha , encravada em uma chapada a 22 km da sede do município e desde que nasceu, a 12 de fevereiro de 1909, enfrentou  com força e altivez, a seca e outras agruras do tempo característico da região.

 

Quando fez 106 anos, o segredo para a longevidade  foi revelado pelas filhas Alsiza dos Santos Pereira, 65 anos e Luzia Fonseca da Silva, 72 anos:  Comida feita na gordura de porco, mingau de fubá com ovo caipira, muita fruta, iogurte, café sem açúcar, requeijão e toucinho.

 

Em junho de 2011 morria em Carangola (MG),  aos 114 anos, Maria Gomes Valentim, reconhecida pelo Guinness Book, livro de recordes, como a a mulher mais velha do mundo.

 

Sérgio Vasconcelos

Repórter