Seu Internet Explorer está desatualizado

Para uma melhor visualização do site, utilize a mais nova versão ou escolha outro navegador.

Notícias » Saúde

22/05/2019 - 15:18 - Fonte: Gazeta de Araçuai

Polícia Civil apura bate- boca entre vereador e profissionais de Saúde em Coronel Murta.

Desentendimentos foram causados por conta de falhas no atendimento a uma paciente .

Foto: Gazeta de Araçuai Polícia Civil apura bate- boca entre vereador e profissionais de Saúde em Coronel Murta.
Unidade de Saúde Carlito Murta

 

Um desentendimento por conta de falhas no atendimento a pacientes, alterou os ânimos entre  profissionais da saúde  e um vereador, na manhã de terça-feira (21), na Unidade de Saúde Carlito Murta, em Coronel Murta, no Vale do Jequitinhonha (MG). O ocorrido se transformou em caso de polícia.

 

De um lado, o vereador Douglas Bittencourt (PRB)acusa Lorena  Cristina Antunes,  enfermeira chefe da Unidade de Saúde  e de um PSF que funciona no local, de negar a existência de vaga para  atendimento a uma paciente  da zona rural . Do outro, três técnicas de enfermagem garantem que foram ofendidas pelo vereador durante o bate- boca.

 

 

 

Vereador Douglas Bittencourt (PRB) diz estar sendo vítima de perseguição política porque faz oposição à atual administração.

 

O vereador contou que estava percorrendo as Unidades de Saúde da cidade, e quando estava na UBS do bairro Maria da Glória, encontrou uma paciente da zona rural que chegava para ser atendida. Segundo o vereador ela contou  que  estava ali, porque não havia vaga na Unidade Carlito Murta, onde ela deveria ser atendida.

 

“ A Unidade do bairro Maria da Glória fica a cerca de 2 km da Carlito Murta, que eu já havia visitado pela manhã e decidi retornar para tomar conhecimento do fato”, lembrou o vereador.

 

De acordo com a ocorrência policial ,  a enfermeira  chefe da equipe, Lorena Cristina, contou  que após o vereador ser informado que não havia vagas naquela unidade, ele   entrou na sala dela, onde estavam sendo atendidos os pacientes e começou a xingar de “incompetentes e burros” os membros da equipe de enfermagem que estavam no local .

 

Ainda segundo a enfermeira, o vereador, ao sair da unidade de saúde,  danificou uma porta de madeira que fica em um dos corredores do prédio.

 

A Polícia Militar foi acionada para registrar a ocorrência. Quatro  funcionárias da Unidade Básica de Saúde e o vereador foram encaminhados  à Delegacia para prestar esclarecimentos.

 

O OUTRO LADO

 

Douglas Bittencourt alegou aos militares que esteve na UBS como vereador, na intenção de realizar uma fiscalização do serviço de atendimento. Ele negou  ter ofendido os funcionários que ali se encontravam em serviço e de ter sido o culpado pelo dano causado à porta de madeira da unidade. No entanto, ele  se prontificou a ressarcir o dano ao município.

 

 “ Quando passei pela porta que possui braço mecânico, um dos alisar de madeira (frisos) se desprendeu”, se defende o vereador. Não ofendi funcionários. Eu estava me referindo à secretária de saúde que não se encontrava no local”, disse ele.

 

O vereador  disse ainda que ficou indignado porque ao chegar no local, foi informado que haviam vagas para atendimento em um PSF que funciona na referida Unidade de Saúde Carlito Murta. “ Expuseram a paciente a uma caminhada desnecessária já que ela poderia ser atendida ali mesmo”, destacou o vereador.

 

O caso foi encaminhado à Polícia Civil que vai instaurar procedimento para apurar os fatos.

 

Coronel Murta tem cerca de 10 mil habitantes.

Perseguição

 

O vereador Douglas Bittencourt diz que está sendo vítima de perseguição política após ele ter feito uma denúncia na Comissão de Saúde da Câmara em relação à irregularidades no setor de saúde, em especial, na campanha de vacinação contra a gripe no munícipio, e também porque faz oposição à atual administração.

 

A prefeitura não se manifestou sobre o assunto.

 

Gazeta de Araçuai