Seu Internet Explorer está desatualizado

Para uma melhor visualização do site, utilize a mais nova versão ou escolha outro navegador.

Notícias » Cidades

07/06/2019 - 09:31 - Fonte: Gazeta de Araçuai

IMA impõe restrições para realização de cavalgadas em Araçuai

Promotores dos eventos se reúnem para buscar soluções e garantir a realização da 17ª Missa do Vaqueiro prevista para 14 de julho. A realização da 4ª cavalgada que antecede a missa, corre o risco de não acontecer. De acordo com os promotores, houve denúncia no portal do IMA dando conta de irregularidades na realização das festas.

Foto: Gazeta de Araçuai IMA impõe restrições para realização de cavalgadas em Araçuai
Missa do Vaqueiro é realizada há 16 anos em Araçuai
 
Representantes, do Sindicato dos Produtores Rurais e Clube do Cavalo de Araçuai, no Vale do Jequitinhonha (MG) se reúnem na noite desta sexta-feira (7) para discutirem as medidas que serão tomadas para o cumprimento das  obrigações impostas pelo IMA-Instituto Mineiro de Agropecuária de MG- para a realização  dia 9 de junho, da 4ª Cavalgada que antece a  17 ª Missa do Vaqueiro, festa tradicional da cidade que acontece no 2º final de semana do mês de julho.
 
 
As exigências estão previstas na portaria  1391 de janeiro de 2014, que  estabelece normas para o registro, junto ao IMA, de entidades públicas ou privadas que realizam ou promovem eventos pecuários, bem como para o controle sanitário de animais em tais eventos.
 
 
 
 Na última quarta-feira (5) a chefe do escritório do IMA em Araçuai, a veterinária Liliane Salha.enviou ofício ao Sindicato dos Produtores Rurais e Clube do Cavalo, comunicando as restrições  para a  realização dos eventos.
 
A representante do IMA, informou que tomou conhecimento dos mesmos , através de propaganda divulgada por  veículos com alto-falantes, e que não há autorização do orgão para suas realizações.
 
 
Segundo ela, os organizadores dos eventos, a exemplo do Clube do Cavalo e Sindicato dos Produtores Rurais,  conhecem as normas sanitárias exigidas para a realização dos mesmos,  visto que inúmeros oficios já foram repassados às respectivas entidades.
 
 
Ainda de acordo com ela, é também de conhecimento dessas entidades que a realização de eventos pecuários sem a documentação administrativa e sanitária, pode provocar a interdição do local.
 
O ofício alerta também que todas as medidas legais serão tomadas se os eventos ocorrerem no Parque de Exposições, que poderá inclusive ser interditado por 1 a 2 anos.
 
A multa é de 50 UFIR- (Unidade  Fiscal de Referência ) por animal para o promotor do evento, ( cerca de R$ 180) e 100 UFIR ( R$3.600 )por animal, para os proprietários dos mesmos.
 
 
 
Parque de Exposições Agropecuárias de Araçuai poderá ser interditado se não cumprir exigências do IMA para realizar cavalgadas.
 
 
REAÇÃO E DENÚNCIA ANÔNIMA
 
 
O presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Araçuai, Kélvio Marcílio Oliveira, que entrega o cargo na próxima semana,  se mostrou surpreso com a decisão. "Somos a favor do cumprimento da lei, no entanto, nos anos anteriores, não houve tanto rigor como agora.", afirmou Marcílio, destacando que será dificil  para os donos dos animais cumprirem  todas as exigências do IMA. " Somente as vacinas estão em torno de R$ 200 reais", destacou.
 
Lei é para ser cumprida, diz Kélvio Marcílio, do Sindicato dos Produtores Rurais de Araçuai.
 
 
O empresário Everaldo Sousa Silva, que assume a presidência do Sindicato Rural na próxima segunda-feira (10) lembrou que a Missa do Vaqueiro é um evento do Clube do Cavalo, com apoio do Sindicato. " Todos os anos, o IMA cobra o cumprimento da Portaria 1391 para realização da cavalgada",  mas, segundo Everaldo, sempre havia formas da  festa acontecer normalmente.
 
 
Ele disse que foi informado pela chefe do escritório local do IMA , sobre a existência de uma denúncia anônima no portal do orgão, dando conta que o evento seria realizado fora dos padrões sanitários. " Lei é lei e deve ser cumprida.Todos querem que a festa aconteça. Não realizar será uma perda enorme, porque ela movimenta a economia local. Acreditamos que a cavalgada que antecede a Missa do Vaqueiro não vai acontecer, mas vamos buscar uma saída para realizar a Missa do Vaqueiro", disse ele.
 
O IMA se limitou a informar que vai enviar fiscais sanitários à Araçuai, para inspecionar o evento.
 
 
 
Oficio do IMA ao Sindicato dos Produtores Rurais
 
 
 
Tradição
 
Em Araçuai, a missa do vaqueiro reúne em torno de 2 mil pessoas no parque de Exposições, com participação em média de 500 cavaleiros. Após a missa, a cavalgada percorre ruas da cidade.
 
 
A Missa do Vaqueiro é um evento religioso, tradicional na cultura popular do sertão pernambucano. Esta celebração teve origem a partir do desaparecimento do vaqueiro Raimundo Jacó, um vaqueiro de muita coragem do Sertão nordestino, que foi assassinado  à traição nas caatingas do Sítio das Lages, distrito do município de Serrita, localizado no alto sertão do Araripe,  a 553 quilômetros do Recife.
 
         A primeira missa em sua memória foi idealizada pelo Rei do Baião, Luiz Gonzaga cantor e compositor pernambucano, e rezada pelo padre João Câncio dos Santos em 1971.
 
 
Hoje , é celebrada em várias partes do pais, sempre no terceiro domingo do mês de julho, ao ar livre. É neste dia que se reúnem vaqueiros  e peões  que se confraternizam diante da fé cristã.
 
Moradora de Araçuai que pediu para não ser identificada, parabenizou a atitude da representante do  IMA de fazer cumprir a lei." As cavalgadas são legais mas, os promotores dos eventos precisam se adequar à lei, senão vira esculhambação. Aqui tudo é feito de qualquer maneira e ninguém fala nada. Que sirva de exemplo para que os organizadores a partir de agora, obedeçam as normas", finalizou.
 
 
 
Sérgio Vasconcelos
Repórter