Seu Internet Explorer está desatualizado

Para uma melhor visualização do site, utilize a mais nova versão ou escolha outro navegador.

Notícias » Cidades

24/12/2019 - 10:42 - Fonte: Gazeta de Araçuai

Após abandono, prefeitura de Araçuai decide reformar prédio da MinasCaixa

Reforma deverá ser finalizada em fevereiro de 2020.

Foto: Gazeta de Araçuai Após abandono, prefeitura de Araçuai decide reformar prédio da MinasCaixa
Prédio ficou abandonado e à mercê de vândalos desde 2015

 

Depois que quase 5 anos de descaso e  abandono, a prefeitura de Araçuai, no Vale do Jequitinhonha (MG), decidiu enfim, reformar o prédio que abrigou a extinta MinasCaixa,na região central da cidade.

 

Depois que prédio foi depredado, prefeitura ergueu paredes nas entradas principais, mas estrago já estava feito.

 

O imóvel, que está sob responsabilidade da prefeitura há pelo menos 10 anos, foi   totalmente danificado por vândalos que arrancaram pias, torneiras, vasos sanitários, quebraram vidraças, destruiram  as portas de vidro e  grades metálicas da entrada, e por último, furtaram todo a cobertura do telhado do prédio.

 

Tubulação do ar condicionado virou sucata e vai para galpão de rejeitos da prefeitura

 

A reforma que teve inicio em novembro, vai custar aos cofres públicos, R$109.966,00. A conclusão dos trabalhos está prevista para fevereiro de 2020. Toda a tubulação de zinco do ar condicionado foi retirada,  e deverá ser levada para o Fruta Boa, que se transformou em  depósito de entulho e sucatas da prefeitura. Após a reforma, a prefeitura deverá ocupar o espaço.

 

Antes de ser abandonado pela administração do atual prefeito Armando Paixão (PT), o prédio abrigou vários órgãos  públicos.

 

Enchente de 1979 chegou próximo ao prédio, que fica ao lado da antiga sede da prefeitura.

HISTÓRIA

 

Com a extinção da MinasCaixa, em 1991 , todos os bens que compunham o patrimônio do banco, reverteram-se em favor do Estado de Minas Gerais. A partir de então, o prédio sediou uma unidade do Posto de Serviços e Informações para o Usuário, (PSIU) bem como a  regional da Setascad- Secretaria de Estado do Trabalho e Desenvolvimento Social até ser doado para a prefeitura.

 

Na gestão do então prefeito Aécio Jardim (2009-2012), abrigou a secretaria municipal de Assistência Social . Já na administração do atual prefeito Armando Paixão, deu lugar  até meados de 2015,  ao Departamento municipal de Cultura e ao programa Bolsa Familia. Com a saida desses órgãos, o prédio ficou completamente abandonado.

 

.

Documentos de gestões anteriores chegaram a ser abandonados  no local.

 

 

O problema foi denunciado

 

Em fevereiro de 2017 reportagem do jornal Gazeta denunciava o descaso, o abandono e a irresponsabilidade da administração com a coisa pública. Quem passava pelo local se deparava com  o mato alto, vidraças, lâmpadas e portas quebradas, além de muito lixo, entulho e fezes espalhadas pelas salas, que passaram a ser utilizadas por usuários de drogas e mendigos.

 

Em uma das salas estavam quatro armários de aço,dois arquivos  e algumas mesas. 

 

 Dentro de um dos armários, centenas de pastas com documentos oficiais  das  administrações da prefeita  Maria do Carmo Silva e José Antonio Martins. Ambos do PT. O prédio estava com inúmeras infiltrações e as goteiras e umidade, estavam danificando os documentos.

 

 

Após a denúncia a prefeitura recolheu os documentos e os móveis mas não tomou nenhuma providência para preservar o prédio. “ Se tivessem cuidado dele naquela época, certamente gastariam agora, menos dinheiro na reforma. Quem deveria pagar por esta obra  era o prefeito e não os contribuintes” disse um casal que passava pelo local e pediu para não ser identificado.

 

Sérgio Vasconcelos

Repórter