Seu Internet Explorer está desatualizado

Para uma melhor visualização do site, utilize a mais nova versão ou escolha outro navegador.

Notícias » Polícia

26/07/2020 - 09:40 - Fonte: O Tempo

Homem surta e mantém o próprio filho refém sob a mira de machado e flecha

Criança permaneceu em cárcere durante aproximadamente seis horas; pai estava em surto psicótico e ameaçou o menino de apenas 11 anos

Foto: arquivo Homem surta e mantém o próprio filho refém sob a mira de machado e flecha
Caso ocorreu na região central de Angelandia.

Mantido refém pelo próprio pai em surto psicótico, um garoto de apenas 11 anos permaneceu seis horas em cárcere privado sob a mira de um machado no município de Angelândia, na região do Vale do Jequitinhonha. O sequestro começou nesse sábado (25) e, além da ferramenta, o pai do menino usou um facão e até mesmo uma flecha para ameaçá-lo.

 

Uma equipe do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) viajou até a cidade em um avião para apoiar as negociações pela libertação da criança. Os militares conseguiram resgatar o menino e deteram o pai dele, um homem de 47 anos.

 

O cárcere privado teria começado pouco antes da manhã desse sábado, quando moradores de Angelândia ligaram para a Polícia Militar e denunciaram que um pai estaria em surto psicótico mantendo o próprio filho como refém em uma casa no centro da cidade.

 

Ainda nas primeiras horas, a polícia tentou negociar com o suspeito para que ele liberasse o menino e se entregasse para ser medicado. Entretanto, de acordo com o histórico, o homem estava bastante transtornado e ameaçando o filho com um machado.

 

 

Armas usadas pelo homem foram apreendidas pela polícia.

 

Militares do BOPE que participaram da ação viajaram em um avião até Capelinha, município nas proximidades de Angelândia, e seguiram até a cidade pela estrada. Não há detalhes de como aconteceu a operação de socorro à criança, mas a polícia informou que foi necessária intervenção do BOPE para que o menino fosse resgatado e o pai detido. O suspeito precisou ser trazido para o Hospital Galba Veloso, em Belo Horizonte, onde está agora em tratamento psiquiátrico.

 

De acordo com a polícia, o pai do menino tinha problemas pessoais e profissionais que teriam causado a ele distúrbios psicológicos. Antes do crime, ainda nesta semana, ele havia sido levado para a policlínica de Angelândia onde recebeu medicação.