Seu Internet Explorer está desatualizado

Para uma melhor visualização do site, utilize a mais nova versão ou escolha outro navegador.

Notícias » Polícia

13/08/2020 - 09:05 - Fonte: G-1

Homem é preso suspeito de estupro, participação em aborto e pedofilia

Delegado afirma que a denúncia foi feita pela família da menor: . Menina foi abordada na porta da escola em Salinas (MG). Homem negou os fatos.

Foto: divulgação Homem é preso suspeito de estupro, participação em aborto e pedofilia
Homem foi preso quando jogava futebol em uma quadra da cidade

Um homem de 20 anos foi preso suspeito de estupro de vulnerável, pedofilia, participação em aborto e apologia ao crime em Salinas, no Vale do Jequitinhonha (MG). Segundo a Polícia Civil, a vítima tinha 11 anos quando eles começaram a se relacionar.

 

O delegado José Eduardo Santos explica que a família da menor fez uma denúncia na delegacia. Inicialmente, ela negou todos os fatos.

 

"A vítima foi ludibriada e o suspeito tinha total consciência da gravidade da situação. As investigações apontam que ele foi para a porta de escola, o que caracteriza a intenção de aliciar uma vítima menor de idade. A partir disso, eles passaram a conversar por redes sociais. Ele aproveitava que a família dela estava fora de casa e entrava pulando o muro”, fala o delegado.

 

Diante da negativa, os policiais comprovaram o relacionamento por meio de bilhetes apreendidos. Um exame grafotécnico ajudou a identificar que a letra era da jovem e que as mensagens eram destinadas ao suspeito.

 

 

Aborto

 

 

Após a confirmação por meio dos bilhetes, os policiais verificaram uma intensa troca de mensagens de celular entre os dois.

 

Durante as investigações, foram encontradas fotos da jovem nua, o que caracteriza pedofilia. Foram identificadas ainda conversas sobre um aborto que a vítima teria feito durante o relacionamento, que durou menos de um ano e terminou em meados de março.

 

 

De forma vulgar e desumana, ele falava que ela tinha que ver se o ‘bichinho estava vivo ou morto’, se referindo à gravidez. E a orientou a tomar chá de canela para abortar.

 

 

O delegado suspeita que a expressão “chá de canela” pode fazer alusão a alguma substância que a vítima possa ter utilizado, já que a polícia identificou que ela teve uma hemorragia, por meio da troca de mensagens e de exames clínicos.

 

 

Família se mudou para outro estado

 

 

Antes de saber da gravidade dos fatos e antes de fazer a denúncia, os familiares tiveram contato com o rapaz e ordenaram que ele se afastasse da menina. A partir disso, ele foi para São Paulo. O retorno dele ao Norte de Minas ocorreu há 11 dias e a prisão foi feita enquanto ele jogava futebol.

 

Posteriormente, por conta da gravidade da situação, o delegado José Eduardo ressalta que a família da vítima se mudou para outro estado.

 

O delegado alerta que os pais ou responsáveis devem estar atentos aos comportamento dos filhos e devem procurar pela polícia se identificarem situações suspeitas.

 

“Durante a investigação policial, com objetivo de traçar o perfil do investigado, foi identificado que este mantinha redes sociais com material de apologia ao crime, ao uso de drogas e de ataques contra instituições públicas, principalmente, as policiais”, destaca o delegado.

 

Versão do investigado

 

 

Ao ser preso, o homem confessou em depoimento que manteve relações sexuais com a menor, mas afirmou que não forneceu remédio abortivo para ela. Disse ainda que não tinha fotos íntimas dela no celular. Ele foi levado ao presídio.