Seu Internet Explorer está desatualizado

Para uma melhor visualização do site, utilize a mais nova versão ou escolha outro navegador.

Notícias » Polícia

22/10/2020 - 13:38 - Fonte: Gazeta de Araçuaí

Suspeito de matar soldado da PM é preso em Cachoeira do Pajeú

Corpo do soldado Jackson Gomes Lima, de 32 anos, foi encontrado no banheiro de casa por colegas da PM na última quarta-feira (14).

Foto: divulgação Suspeito de matar soldado da PM é preso em Cachoeira do Pajeú
Perícia indicou que policial foi atingido com 10 tiros

A polícia prendeu um jovem, de 25 anos, suspeito de matar um soldado da PM com vários tiros em Cachoeira do Pajeú, no Vale do Jequitinhonha. O crime foi na última quarta-feira (14) e o corpo de Jackson Gomes Lima, de 32 anos, foi encontrado no banheiro de casa por colegas da PM.

 

Jovem disse à PM que militar mantinha um caso com a namorada dele.

O suspeito foi localizado na noite dessa terça-feira (20) em frente à casa onde mora, no Bairro Planalto, e confessou o crime.

 

De acordo com a ocorrência policial, ele contou que a namorada mantinha um relacionamento amoroso com o policial  e ele era ameaçado constantemente pelo militar.

 

Ainda segundo o BO, o suspeito contou ter ingerido bebida alcoólica no dia do crime e estava indo dormir na casa da avó, quando viu o militar passando de carro. Ele se escondeu e, em seguida, pegou uma arma calibre 38 guardada na residência da avó e invadiu a casa do PM após pular dois muros.

 

Ao entrar no imóvel, o homem pegou uma pistola calibre 40 na mesa da sala e foi até o banheiro onde o militar estava. Ele contou ainda que apontou as duas armas para o policial e atirou várias vezes depois que a vítima sorriu demonstrando ironia.

 

Após o crime, o homem se escondeu em um matagal e jogou a pistola dentro de um rio.

 

Segundo a PM, foram apreendidas munições e três espingardas durante buscas na casa do suspeito . Ele foi levado para a delegacia de Pedra Azul e a Polícia Civil instaurou um inquérito para investigar o caso.

 

 

Entenda o caso

 

O corpo do soldado foi encontrado depois que colegas da PM foram no imóvel porque ele não compareceu ao trabalho e não atendia o telefone. A perícia foi acionada e constatou 10 perfurações na região do tórax, braço e pescoço.

 

A PM informou que o soldado Jackson Gomes Lima morava sozinho, era de Pedra Azul e trabalhava na cidade há quatro anos, desde que se ingressou na corporação.