Seu Internet Explorer está desatualizado

Para uma melhor visualização do site, utilize a mais nova versão ou escolha outro navegador.

Notícias » Política

11/11/2020 - 19:33 - Fonte: Gazeta de Araçuai

As pessoas querem respeito-diz candidato Tadeu do Posto em entrevista ao Gazeta

O Jornal Gazeta publica nesta quinta-feira (12) e sexta-feira (13) entrevistas com os 4 postulantes à prefeitura de Araçuai. As perguntas com temas variados, foram as mesmas para todos.

Foto: divulgação As pessoas querem respeito-diz candidato Tadeu do Posto em entrevista ao Gazeta
Candidato do PSD, Tadeu do Posto, foi sabatinado pelo jornalista Sérgio Vasconcelos

 

Tadeu Barbosa de Oliveira, tem 47 anos.É casado com Aline Sena Carmona e pai de Lucas e Ana. Foi cobrador, atendente de loja, garçom, lavador de carros e vendedor ambulante.

 

Natural de Capelinha-MG, vive em Araçuai desde seus dezoito anos. Em 1991 ingressou na Cemig como aprendiz e chegou a Supervisor de Serviço, responsável pelas equipes de campo de 23 municípios nos vales do Jequitinhonha e Mucuri.

 

Em 2010 Tadeu se desligou da Cemig e assumiu a Gestão Executiva de uma grande organização estabelecida nos ramos de casa de peças, oficina mecânica e posto de combustível.

 

É membro fundador do CONSEG - Conselho de Segurança de Araçuaí. Esteve ao lado do então bispo diocesano,  Dom Severino, como vice-presidente, na gestão do Hospital São Vicente de Paulo por cinco anos.

 

Acompanhado da esposa, Aline Carmona, e do candidato a  vice-prefeito, o cirurgião-dentista  Kélvio Marcílio, ele concedeu a seguinte entrevista ao jornal Gazeta.

.

 

Postulante ao cargo de prefeito de Araçuai, Tadeu do Posto foi entrevistado pelo jornalista Sérgio Vasconcelos.

 

 

1-Por que o senhor quer ser prefeito de Araçuai?

 

R- Eu vejo que posso contribuir de uma forma muito efetiva para o desenvolvimento de nossa cidade, do nosso município. Faço um diagnostico de  várias administrações, onde faltou gestão profissionalizada. Minha carreira sempre foi de administração. Administrei empresas privadas mas também tive experiências  com empresas públicas, e com o hospital de Araçuai e com isso me vejo preparado para dar esta contribuição para Araçuai.

 

2- caso seja eleito,  que medidas seriam tomadas emergencialmente. 

 

R- Primeira coisa é colocar a casa em dia. Por mais que seja propagada que as coisas estão bem, eu não vejo dessa forma. Tem muita coisa que precisa ser corrigida, principalmente na questão estrutural. A prefeitura de Araçuai vem há três, quatro, cinco mandatos, sendo tratada muito numa questão de interesses particulares de algumas pessoas. Eu vejo que temos de tomar uma ação rápida  a respeito disso,  de uma forma enérgica. Não podemos deixar passar muito tempo. Teremos um curto espaço de tempo para a transição, ou seja, em torno de 30 dias, e isso pode dificultar algumas ações.

 

3-Que ações.

 

A questão da adequação de cargos...da estrutura administrativa da prefeitura...uma estrutura mais humana, que dê mais resultado, dentro da proposta de prestação de serviços. Queremos mudar isso. Vamos fazer uma consultoria, escutando os servidores e a população...

 

 

4-Com a pandemia ,as pequenas e médias empresas estão passando por problemas. Algumas  com risco de fechar as portas e outras não conseguem manter o pagamento em dia. Isso reflete diretamente na empregabilidade da cidade. De que forma a administração pública poderá contribuir para amenizar esse  impacto  e alavancar o comércio local?

 

R-Primeiro ponto é a administração se abrir ao diálogo para a construção de um conjunto. Não abro mão disso. Temos que ter sempre em mente que o melhor se consegue de cada um...se você juntar o que cada um tem de bom, você vai consegue algo muito melhor.

O que a gente viu com a questão da pandemia,  apesar de algumas ações efetivas que foram tomadas, foi  o posicionamento autoritário do governo que  expos muita gente a esses riscos que você coloca, e conseguentemente os trabalhadores, no risco de perder seus empregos. Então, o Poder Público pode contribuir ouvindo, construindo uma outra forma de administrar.

 

A gente pensa na questão do trabalho, emprego e renda, como o segundo pilar de nossa estratégia administrativa. A primeira é a água e a segunda é o  trabalho, emprego e renda.

 

5-Caso eleito, o senhor manterá o mesmo número de secretarias? Criará alguma outra? 

 

Pretendo sim. O mundo mudou...temos de nos adequar. A estrutura administrativa de Araçuai é antiga. E uma das coisas que não abro mão,  até mesmo porque faz parte de tudo aquilo que tenho defendido é a criação da Secretaria Municipal de Planejamento. Precisamos saber onde estamos e para onde vamos e como pretendemos chegar lá. Logicamente que isso não será em 1º de janeiro. Precisamos de muita responsabilidade em trabalhar com essa estrutura. Mas vamos montar esta secretaria o mais rápido possível.

 

6-O senhor acredita que os versos de Homerzindo Sobral, no hino à Araçuai onde ele fala que a cidade tem o que há de bom em religião saúde, esporte, educação?Pode-se falar  que isso  é verdadeiro na atual Araçuai?

 

R- Não. Araçuai tem um destaque na área de Saúde. Há que se reconhecer isso. Mas vejo que Araçuai tem ainda muito que melhorar nestas áereas. A questão da Saúde...tem casos que me tocaram muito, na minha caminhada de campanha. Vi pessoas que tem 3...4 anos à espera de um exame. A gente não pode falar que isso é normal...achar que isso não tem jeito. Temos de buscar um jeito de resolver. Na Educação, a grande reclamação é com relação à estrutura. Já o esporte, lazer, cultura...não precisamos estender muito. Todos teem ciência que não temos estas oportunidades.

 

 

7-Araçuai tem um calendário importante de eventos culturais, como o Festival Internacional de Teatro (FIT),  Festival de Teatro de Rua, entre outros. Caso eleito, quais são suas propostas para o setor de Cultura?

 

R- Araçuai tem de abraçar sua vocação e uma delas é a Cultura. Isso para mim é muito claro. Temos de ter mais atenção..tratar de forma mais responsável esse calendário...fomentar essas atividades....trazer as pessoas realmente da Cultura para frente do palco. Vejo que a prefeitura não dá  apoio devido, inclusive subordinando essa área que é tão importante, à Secretaria de Assistência Social, colocando-a de uma forma não tão importante como deveria ser. Cultura...lazer e esporte...e também o turismo..Araçuai tem um potencial enorme.

 

8-Então caberia a criação da Secretaria Municipal de Cultura?

 

R- Eu trabalho com a questão da gestão profissionalizada e com a condição da necessidade e do resultado. Vamos no primeiro momento anexar essas atividades, essas áreas, ao gabinete do prefeito. Então é gestão direta. A Secretaria de Assistência Social, a qual o Departamento de Cultura é subordinado, vai tratar de questões de assistência social. Em um segundo momento, podemos pensar sim, na criação da Secretaria Municipal de Cultura.

 

 

Candidato recebeu das mãos do produtor cultural Jakson Martins,propostas de inovação para o setor cultural de Araçuai.

 

9-​Um dos grandes anseios do funcionalismo público é a construção do Plano de Cargos e Salários, vale alimentação para todos os funcionários, transporte definido para as unidades de saúde, aos profissionais em visita domiciliar. Como solucionar essas questões?

R- Volto a defender o diálogo.Temos de conversar muito com a categoria,  porque tem ainda a questão legal que envolve os temas. O servidor municipal tem de ser tratado com respeito e dignidade. Eu defendo o Plano de Cargos e Salários. Tem de ser conduzido de forma séria e com responsabilidade, a partir da análise da viabilidade. Eu não posso neste momento, prometer que eu vou fazer sem ter acesso a todas as informações que são necessárias. A intenção é privilegiar esta discussão dentro do mandato porque isso é uma demanda histórica.

 

 

10-A imagem de ruas esburacadas, lama, pavimentação irregular, esgoto a céu aberto, terreno baldio, entre outros, entristece moradores e inferioriza a nossa cidade. O que fazer para elevar o padrão de vida nos bairros?

 

R-Nós temos que investir em planejamento. Temos que analisar estas questões de forma pontual, conversando com as pessoas, estruturando esse planejamento a curto, médio e longo prazo.

As dificuldades que a gente tem, além daquelas que você listou e mesmo aquelas onde o poder público chegou com a obra,  é a pavimentação, feita sem obedecer critérios técnicos necessários. Estamos nos expondo a uma sequência de defeitos...a um custo maior da obra. Você tem ai o desserviço. Temos de investir de uma forma clara, para que você tenha a economia e a eficiência do serviço prestado. Os desafios são muitos. Temos de trazer a comunidade para a discussão dos problemas e conduzi-los de forma séria e responsável. As pessoas teem plena consciência de que não dá para fazer tudo ao mesmo tempo. O que elas pedem é respeito... é o retorno da situação...daquilo que as afligem.

 

 

 

11-O senhor acha justo o salário de um servidor municipal, na comparação com o salário dos cargos de confiança, vereadores e até do próprio prefeito?

 

R-Eu não posso falar porque ainda não tive acesso a esses valores. Com relação ao salário do vereador é uma questão que diz respeito ao Poder Legislativo. Quanto ao servidor eu acredito que a regra deve ser sempre pagar o máximo possível. A grande dificuldade que temos é a estrutura de gastos da prefeitura com a folha de pagamento. Vamos ver se a prefeitura tem condições de melhorar ou não. Mas nosso pensamento é esse...temos de dar uma condição melhor para o servidor.

 

12-Se fala muito em relação à crise na classe política, a corrupção é tema nacional na mídia, envolvendo vereadores, deputados e prefeitos. O que dizer para o eleitor para que ele  tenha esperança?

 

Uma das questões que vejo é que a política, dentro de sua estruturação, me parece ser conduzida para que a gente tenha realmente nojo, raiva, medo da política. O que tenho visto, com muita clareza, é que a política é muito boa. O que tem atrapalhado são determinados políticos. Temos de ter cuidado com certos tipos de políticos que colocam os seus interesses acima dos interesses da população. Busquem saber quem é a pessoa, sua história de vida, o que fez, como fez, se tem competência para fazer o que diz que quer fazer. O comportamento de alguns políticos, é o comportamento do homem. E onde tem o homem, tem a inveja, a mentira, a ganância. É preciso conhecer o homem antes dele ser político.

 

13-Em quais ações e programas  a atual gestão está acertando e o que o senhor manteria deste governo e porquê?

 

R- O que me chama a atenção é a Saúde Básica do município que foi expandida. É fato...é elogiável. Vamos manter isso e melhorar naquilo que for possível.

Destaco as dificuldades na Atenção Secundária, onde temos de dar uma atenção especial.. A Saúde da Família tem sido um ponto de destaque.

Na área de gestão eu ainda não tive acesso para uma análise técnica, mas não vejo reclamação com relação a pagamento de fornecedores, o que é recorrente em outras administrações. São situações que funcionam e que temos de manter. Eu sou um gestor e gosto de privilegiar melhorias contínuas. Então, nem tudo está bom que não possa ser melhorado.

 

Candidato diz que pretende resgatar projeto Fruta Boa.

 

14-O complexo fruta boa construído na gestão petista se mostrou um fracasso. Que planos o senhor tem para reativar o projeto?

 

R-A nossa estratégia é o entendimento. O Fruta Boa é um projeto que acabou em nada...acabou em prejuízo aos cofres públicos. Me pergunto sempre por que nas gestões petistas sequenciais, não resgataram...não colocaram isso na mesa de forma clara e objetiva, sobre o que aconteceu.

A nossa proposta é o resgate porque defendo a estruturação de toda a cadeia produtiva da agricultura familiar. Temos de resgatar o máximo possível do que foi investido. É lamentável que toda aquela estrutura esteja sendo utilizado apenas para guardar sucata da prefeitura.

 

15-Grande parte do grupo de partidos que o apóiam são de esquerda. E muitos desses líderes partidários, inclusive, já foram lideranças do PT no passado. Há quem diga, inclusive, que sua vitória seria “um novo PT no comando da cidade”. Como o senhor vê essa colocação?

R- Isso é uma idéia estruturada de combate eleitoral. Reconheço que o nosso grupo inicial que esteve na campanha de 2016, tem remanescentes do PT, que vendo os resultados negativos na gestão do PT se dispuseram a mostrar um novo caminho para Araçuai.

Já nesta campanha, coloco de forma muito clara,  e o que me dá alegria, é a união . Essas pessoas que perdem tempo em citar que caso eu seja eleito, será um PT 2 na prefeitura, penso que vão se desgastar com isso, porque temos visto pessoas muito sérias, pessoas muito boas de ambos os lados,  que eram PT ou que acompanhavam outras lideranças e que tinham outro posicionamento, agora se unindo com a gente, de forma muito bonita. Tenho visto isso nas reuniões, nas ruas, na população enfim...as pessoas se unindo contra aquilo que é ruim.

 

16-Como seria a participação do vice-prefeito em  seu governo?

 

R- Tenho conversado muito com o Marcilio. Pessoa que veio agregar muito à chapa..traz muita bagagem. Ele tem  uma visão de gestão alinhada ao que penso e levamos isso para o mandato.

O vice em Araçuai, é um destaque que temos de dar. O vice nas últimas campanhas...no caso a vice, (se referindo à médica Dra. Rita, atual vice-prefeita )ganhou papel fundamental.Não podemos retroagir.Acabou aquele papel de vice figurativo.Temos de ter clareza que o vice é presente...respeitado. É uma pessoa que estará ao meu lado...

 

17- E qual o papel que terá a primeira-dama?

 

R- A gente vai ter que pensar muito ( risos ). É uma pessoa de primeira linha, pela ética, pela dedicação, pelo conhecimento e pela forma que sempre se porta. Será uma primeira-dama, de primeira linha.

 

 

18-Em que o senhor se diferencia dos demais candidatos?

 

R-.O que me diferencia é a união com as pessoas que querem mudar Araçuai.Vimos coisas ruins acontecendo em Araçuai, em ambos os lados..em todas as situações. E as pessoas viram isso e abraçaram a bandeira da mudança para melhor, na forma de se fazer política e gestão.

 

19-Suas considerações finais.

R- Nos dê essa oportunidade.Não tenham medo da mudança. Acreditem que é possível um governo diferente, de política diferente...a política séria, honesta, voltada para resultados que tenham foco principalmente nos mais necessitados.Estamos com muita vontade de fazer um mandato para ficar na história de Araçuai. Será um mandato bacana, podem apostar.

 

Candidato...muito obrigado pela entrevista.

R-Eu que agradeço a oportunidade.