Seu Internet Explorer está desatualizado

Para uma melhor visualização do site, utilize a mais nova versão ou escolha outro navegador.

Notícias » Cidades

18/01/2021 - 07:29 - Fonte: Gazeta de Araçuaí

É falso que Argentina comprou fornos para cremar mortos pela vacina chinesa

A Apisa informou, por meio de nota, que não fabrica fornos crematórios e que o vídeo em questão foi gravado no porto de Tarragona, na Catalunha, Espanha

Foto: arquivo É falso que Argentina comprou fornos para cremar mortos pela vacina chinesa
As máquinas apresentadas no vídeo não são fornos crematórios, mas fornos de biomassa

Circula nas redes sociais um vídeo que mostra fornos de dimensões industriais supostamente comprados pelo governo argentino para cremar pacientes mortos pela “vacina chinesa”

 

As máquinas apresentadas no vídeo não são fornos crematórios, mas fornos de biomassa. Aos 30 segundos do vídeo aparece o nome do fabricante do equipamento, a Apisa, empresa espanhola especializada em produtos para agricultura. No site da companhia, um dos produtos anunciados é feito para desidratar forragemNesta foto é possível notar a semelhança com o maquinário apresentado no vídeo.

 

Apisa informou, por meio de nota, que não fabrica fornos crematórios e que o vídeo em questão foi gravado no porto de Tarragona, na Catalunha, Espanha, quando o maquinário estava sendo despachado para a Romênia.

 A empresa respondeu  também que não tem fábrica em território chinês e que a última venda realizada para a Argentina foi há alguns anos, quando venderam duas câmaras de combustão com queimador de gás para uma planta de desidratação de alfafa. 

 

m publicação no Twitter, a Autoridade Portuária de Tarragona confirmou que as imagens mostravam equipamentos de secagem de forragem e repudiou que o vídeo esteja sendo usado para espalhar desinformação. “[Os equipamentos] Não têm nada a ver com o que está insinuado nesse tuíte que, além de ser totalmente impreciso, consideramos de mau gosto”, respondeu a um tuíte que compartilhava o boato.

 

O site argentino Chequeado, o espanhol Maldita e a AFP Factual checaram publicações semelhantes. No Brasil, o Boatos.org também verificou as informações.