Seu Internet Explorer está desatualizado

Para uma melhor visualização do site, utilize a mais nova versão ou escolha outro navegador.

Notícias » Saúde

16/03/2021 - 07:01 - Fonte: O Tempo

Zema decide colocar todas as cidades de Minas na onda roxa a partir do dia 17

Medida será anunciada nesta terça-feira e deve valer por 15 dias; fase mais restritiva prevê toque de recolher após às 20h e fechamento de comércio não essencial

Foto: divulgação Zema decide colocar todas as cidades de Minas na onda roxa a partir do dia 17
Medida foi tomada pelo governador após ouvir técnicos do governo.

Todos os municípios de Minas Gerais irão entrar na Onda Roxa na próxima quarta-feira (17). O governador Romeu Zema (Novo) tomou a medida após reunião com os prefeitos das microrregionais do Estado e com os consórcios de saúde na noite desta segunda-feira (15).

 

Segundo o governador, a decisão teve apoio da maioria dos prefeitos e será obrigatória até mesmo para aquelas cidades que não fazem parte do Programa Minas Consciente. A medida deve ser anunciada na manhã desta terça-feira (16) em coletiva de imprensa do governador com o novo secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti. A restrição irá valer por 15 dias. 

 

“É uma medida dura, mas extremamente necessária neste momento para evitar um cenário pior do que já estamos vivendo. Faço um apelo a todos os mineiros: precisamos manter as medidas de proteção e distanciamento social. Não vamos deixar que o cansaço nos vença. Por favor, respeite e colabore para que possamos vencer essa guerra”, afirmou Romeu Zema, em vídeo divulgado nas redes sociais após a reunião.

 

Zema reforçou ainda que a situação atual do Estado é a mais grave desde o início da pandemia, em que os hospitais estão no limite de leitos disponíveis.
 
 
“As filas nos hospitais só têm aumentado. Sabemos que a solução definitiva para esse cenário é a vacinação. Ela está mais rápida, mas ainda é insuficiente para garantir a queda na busca por atendimento médico. Por isso, não nos resta opção a não ser adotar medidas mais restritivas. É uma questão humanitária, para não assistirmos cenas de horror”, disse Zema aos prefeitos.
 
 
 
Resistência
 
Para o presidente da Associação Mineira de Municípios (AMM), Julvan Lacerda (MDB), as restrições só surtiram efeito se também tiver vacina. "Resistência sempre vai ter, porque é uma decisão difícil para o prefeito que sofre pressão de todos os lados. Mas essa foi uma medida tomada por técnicos, não é achismo. Estamos vendo a saturação do Estado e chegou em um momento que não dá mais", afirmou.
 
 

Segundo Lacerda, o governo do Estado irá fiscalizar o cumprimento das medidas junto com as prefeituras. "As forças de segurança vão estar empenhadas, antes era uma obrigação somente das prefeituras, mas a população precisa se consicentizar. Essa medida não vai adiantar. O que vai acabar com o problema é a vacina. A Onda Roxa é para desacelerar por um tempo a doença", pontuou o presidente da AMM. 

Também presente na reunião desta segunda-feira, o comandante-geral da Polícia Militar de Minas Gerais, coronel Rodrigo Rodrigues, se comprometeu em intensificar as fiscalizações.

“Vamos reforçar os nossos turnos, principalmente nos horários de 15h às 23h e 23h até as 6h, para evitar a circulação. Onde não há guardas municipais, a própria Polícia Militar está sendo orientada para dar esse apoio aos municípios. Principalmente em relação a aglomerações em sítios, pessoas fazendo churrasco”, explicou.