Seu Internet Explorer está desatualizado

Para uma melhor visualização do site, utilize a mais nova versão ou escolha outro navegador.

Notícias » Saúde

21/06/2021 - 17:39 - Fonte: tjmg

TJMG destina recursos para 11 leitos de UTI em Araçuaí

A previsão é que os leitos sejam instalados no Hospital São Vicente de Paulo em dezembro deste ano.

Foto: Gazeta de Araçuai TJMG destina recursos para 11 leitos de UTI em Araçuaí
Entrada do Hospital São Vicente

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) destinou R$ 1,3 milhão, proveniente da aplicação de penas de prestação pecuniária, para serem investidos em 11 leitos de unidade de tratamento intensivo (UTI) em Araçuaí, Vale do Jequitinhonha. A previsão é que os leitos sejam instalados no Hospital São Vicente de Paulo em dezembro deste ano.

 

O presidente do TJMG, desembargador Gilson Soares Lemes; o superintendente de Saúde do TJMG, desembargador Bruno Terra Dias; o supervisor do Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário (GMF), desembargador Júlio Cezar Guttierrez; e o juiz coordenador do GMF, Evaldo Elias Penna Gavazza, deliberaram sobre a destinação da verba.

 

O presidente do TJMG falou da importância de prover o principal hospital da Comarca de Araçuaí com os 11 leitos de UTI. “É uma forma de o Judiciário de Minas contribuir para a melhoria da qualidade de vida dos jurisdicionados. Os poderes precisam se unir para garantir qualidade de vida e justiça para todos”, afirmou.

 

Juiz Jorge Arbex, da Comarca de Araçuai

 

O juiz da Comarca de Araçuaí, Jorge Arbex Bueno, disse que essa iniciativa é muito importante para a comarca, já que a macrorregião do Jequitinhonha conta com apenas 20 leitos de UTI em Diamantina, a 300km de Araçuaí. “Isso demonstra a sensibilidade da direção do Judiciário de Minas, que não está alheia às necessidades sociais e busca cumprir os mandamentos constitucionais”, afirmou.

 

Já o juiz Evaldo Gavazza disse que, “desde o início da pandemia de covid-19, o Tribunal recomendou aos magistrados, servidores e colaboradores adotar medidas de prevenção e combate à doença. Além disso, ficou decidido também que recursos de prestação pecuniária seriam liberados para a melhoria do sistema de saúde pública”, disse.