Seu Internet Explorer está desatualizado

Para uma melhor visualização do site, utilize a mais nova versão ou escolha outro navegador.

Notícias » Educação

15.03.2012 - 07:01 - Fonte: Agência Minas

Mais de 97% dos professores da rede estadual de Minas trabalharam normalmente nessa quinta-feira

As atividades pedagógicas e ações programadas ocorrem dentro da normalidade na maioria das escolas da rede estadual em Minas Gerais.

As atividades pedagógicas e ações programadas ocorrem dentro da normalidade na maioria das escolas da rede estadual em Minas Gerais. Levantamento feito pela Secretaria de Estado de Educação (SEE), divulgado há pouco, aponta que 3.307 escolas estaduais funcionaram normalmente nesta quinta-feira. Das 3.779 escolas da rede estadual, 55 (1,46%) encontram-se totalmente paradas e 417 (11%) parcialmente paralisadas. Entre os 188.938 professores, 4.512 (2,39%) aderiram ao movimento convocado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) nesta quinta-feira (15).

 

Um exemplo de escola que funcionou normalmente nesta quinta-feira é a Escola Estadual Helena Pena, no bairro Sagrada Família, região leste de Belo Horizonte, onde todos os 30 professores da instituição estão trabalhando, nos turnos da manhã e tarde. “Hoje mesmo, cerca de 50 alunos do 4º ano foram à Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa, na Praça da Liberdade. A atividade faz parte de um projeto de poesia e história da arte que os professores estão trabalhando em sala”, explica a diretora da escola, Cláudia Mendes Bastos. 

 

Também na Capital, mas no bairro Nova Granada — região Oeste — a rotina de atividades pedagógicas permanece entre alunos e professores da Escola Estadual Nossa Senhora do Belo Ramo. “Todos os nossos 48 professores estão trabalhando normalmente. Eles realizam em sala a programação de atividades planejada com os mil alunos dos anos finais do ensino fundamental, ensino médio e educação de jovens e adultos atendidos pela escola”, detalha vice-diretora, Patrícia Helena Moreira dos Santos Dutra. Ao todo, a escola, conta com 82 professores e funcionários.

 

A Escola Estadual Donato Werneck de Freitas, no bairro Minaslândia – região Norte de Belo Horizonte, participou da greve dos professores em 2011, mas não aderiu a paralisação organizada esta semana. A escola terminou a reposição de aulas do calendário letivo de 2011 no início de fevereiro e, desde então, as atividades ocorrem normalmente e com novidades para o calendário de 2012.

 

“Começaram esta semana as aulas do projeto ‘Reinventando o Ensino Médio‘, da Secretaria de Estado de Educação, com mais de duzentos alunos do 1º ano. Eles foram organizados por turmas, de acordo com a área de empregabilidade que escolheram (Comunicação Aplicada, Tecnologia da Informação e Turismo). Em sala, os professores já começaram a lecionar os conteúdos de empregabilidade”, comenta o diretor da escola, Adedison Vaz. A escola conta com aproximadamente 770 alunos dos anos finais do ensino fundamental, ensino médio e educação de jovens e adultos e 80 professores.

 

Mesmo no caso das escolas onde houve adesão de professores à paralisação nacional, as escolas são orientadas pela Secretaria de Estado de Educação a permanecerem de portas abertas para receber os estudantes, garantindo o direito à merenda, refeição fundamental para muitas dessas crianças, e o acolhimento dos alunos no espaço escolar. Está mantido o funcionamento das unidades de ensino e o transporte escolar. Não haverá dispensa de alunos.

 

Ao mesmo tempo que respeita a constitucionalidade do direito de greve, o Governo de Minas garantirá aos professores que querem trabalhar o ambiente necessário para o exercício das suas atividades profissionais.

 

Minas paga 52% acima do piso estabelecido pelo MEC

Minas Gerais é um dos estados brasileiros que já cumpre o Piso Nacional dos Professores, estabelecido pelo Ministério da Educação (MEC). O salário inicial dos professores em Minas é de R$ 1.320,00 para uma jornada de trabalho de 24 horas semanais. Aplicada a proporcionalidade para a jornada de 40 horas semanais, este valor corresponde a R$ 2.200,00. Trata-se, portanto, de uma remuneração 52% superior ao piso nacional estabelecido e já reajustado pelo MEC, que é de R$ 1.451,00 (já considerado o reajuste de 22% anunciado há duas semanas). Destaca-se ainda que no próximo mês haverá reajuste de 5%, elevando o salário inicial para R$ 1.386,00 para 24 horas semanais.

 

Todas as vantagens e benefícios conquistados por esses profissionais ao longo da carreira, como quinquênios e biênios, foram incorporados à remuneração dos servidores. A decisão do Governo de manter uma única sistemática de remuneração atendeu à necessidade de conferir maior transparência ao sistema, extinguindo a duplicidade de tabelas e modelos remuneração.

 

Em relação a 1/3 da jornada para atividades extraclasse, a Secretaria já está tomando as medidas necessárias para iniciar a implementação. Atualmente, os professores cumprem 25% da jornada nessas atividades, como determina a Lei de Diretrizes e Bases e os estudos para acrescentar os 8% restantes já estão sendo providenciados.