Seu Internet Explorer está desatualizado

Para uma melhor visualização do site, utilize a mais nova versão ou escolha outro navegador.

Notícias » Cultura

17/03/2012 - 09:54 - Fonte: Diario do Grande ABC

Maracutaia fala das mulheres do Jequitinhonha

Mergulho na alma interiorana, 'Essas Mulheres', que o mineiro Grupo de Teatro Maracutaia - ao lado da dramaturga e diretora são-bernardense Claudia Jordão - apresenta neste fim de semana, em Mauá e em São Bernardo, é também reflexão sobre a força feminina

Foto: Divulgação Maracutaia fala das mulheres do Jequitinhonha
O colorido de Minas, com seus costumes, trejeitos e especificidades, dá um sabor especial à obra.

Mergulho na alma interiorana, 'Essas Mulheres', que o mineiro Grupo de Teatro Maracutaia - ao lado da dramaturga e diretora são-bernardense Claudia Jordão - apresenta neste fim de semana, em Mauá e em São Bernardo, é também reflexão sobre a força feminina.

 

O que era a pesquisa de Claudia para um monólogo com seis textos - partindo da história de uma mulher do Vale do Jequitinhonha que vivia a maior parte do ano longe do marido, e tinha que sobreviver à fome e à seca ao lado dos filhos - se amalgamou na vivência de todas as outras mulheres chefes de família que assumem dificuldades pela subsistência dos seus clãs.

 

Das que sobrevivem do barro que retiram do rio para fazer artesanato às que se prostituem para pôr comida no prato, Claudia traça um paralelo entre "todos os brasileiros e brasileiras" e as políticas inadequadas e os assistencialismos vazios que recaem sobre esses personagens da vida real.

 

“É uma experiência de choro, riso e festa, além de discussão e reflexão. Estamos No norte de Minas, porém as histórias não fazem parte só do Vale do Jequitinhonha”, conta Claudia, que há um ano se divide entre Minas e o Grande ABC e foi convidada pelo grupo, que já está há quase duas décadas na estrada, a fazer um texto sobre o sertão.

 

Costurada pela história de Serevina, a mulher que passa oito ou nove meses do ano sem o marido, a montagem dá voz à prostituta, à artesã, à beata e ao frei estrangeiro encantado pela hospitalidade mineira.

 

Solidão, saudade, dor e força são os ingredientes que dão luz ao enredo e o trazem do sertão para a cidade. O colorido de Minas, com seus costumes, trejeitos e especificidades, dá um sabor especial à obra. Coro de lavadeiras, festas típicas, além da iluminação de cores quentes, compõem a cena.

 

(Fonte: Diário do Grande ABC) Essas Mulheres - Teatro. No Teatro Municipal de Mauá - Rua Gabriel Marques, 353. Tel.: 4555-0086. Sábado, às 21h. No Teatro Elis Regina - Avenida João Firmino, 900, São Bernardo. Tel.: 4351-3479. Domingo, às 19h. Ingr.: R$ 15 (antecipado) e R$ 20